15 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Frota, que já carregou Bolsonaro nas costas, hoje o chama de idiota ingrato

“Ele não está preparado para o cargo para o qual foi eleito, para o qual eu, infelizmente, ajudei a elegê-lo”

A vida dá voltas. Ainda mais na política brasileira. E se o hoje presidente Jair Bolsonaro já foi chavista de carteirinha e creditava aos comunistas o uso forte das forças armadas (ele, aliás, nem sabia quem seria comunista hoje em dia), não é de se imaginar que deputado Alexandre Frota partiria no mesmo barco de mudar muito de opinião.

Expulso do PSL na terça-feira (13), Frota disse à Folha que Bolsonaro é “um idiota ingrato que nada sabe” e que “aquela cadeira de presidente ficou grande para ele e ele se lambuzou com o mel da Presidência”.Acusado de infidelidade partidária por criticar abertamente o presidente, ele diz que sua expulsão é “um aviso para aqueles que acham que estamos vivendo em uma democracia”.

“O fato de falar a verdade incomodou muito, de criticar quem não gosta de ser criticado e não está preparado para as críticas. Isso pesou muito para o Bolsonaro. Bolsonaro não é burro, senão ele não chegaria onde chegou, mas é um idiota ingrato que nada sabe. Aquela cadeira de presidente ficou grande para ele e ele se lambuzou com o mel da Presidência. Bolsonaro se mostra, muitas vezes, infantil. Ele não está preparado para o cargo para o qual foi eleito, para o qual eu, infelizmente, ajudei a elegê-lo. Eu acreditava, assim como milhões de brasileiros, que ele realmente pudesse fazer a diferença, mas não foi isso que encontrei lá. Ele acredita nas verdades criadas, nas próprias fantasias dele”. Alexandre Frota, deputado.

Após sua saída do PSL, Frota disse já ter recebido convites de sete partidos —DEM, PP, MDB, PSDB, Podemos, PSD e PRB. Após se aproximar do governador de São Paulo, João Doria, está inclinado a se filiar ao PSDB. A saída do partido, aliás, para ele, foi libertadora:

“A impressão que eu tenho é que o Bolsonaro não saiu da campanha. Ele acha que o Palácio é um palco. (…) Mas o castelinho de areia uma hora vai ruir e ele vai ficar perdido como um cachorrinho vira-lata numa montanha de lixo. Infelizmente, o seu governo não apresenta propostas, vive de momentos, de insights. Sair do PSL, para mim, foi receber uma carta de alforria, foi me libertar da ditadura bolsonarista. Saí com muito orgulho e pela porta da frente”. Alexandre Frota