20 de novembro de 2020Informação, independência e credibilidade
Blog

Galo regatiano: um título histórico no ano da pandemia destruidora

Com o estádio vazio, a zoeira ficou mesmo para as redes sociais

Meme das redes sociais, após a vitória do galo

Nesses tempos estranhos da vida moderna, de uma pandemia infernal que já matou mais de 97 mil brasileiros, o clássico desta quarta-feira,  05 de agosto de 2020,  entre  CSA e CRB ficará nos registros do futebol, quem sabe, como o mais importante da história devido as circunstâncias.

Quem um dia imaginaria que os dois maiores rivais do futebol de Alagoas iriam decidir uma final de campeonato sem a presença dos seus torcedores.

O “clássico das multidões” em um estádio vazio, mudo, sem a gozação, nem a cantoria tradicional das torcidas nas arquibancadas.

Quem poderia imaginar que o juiz da partida (Nota 10, por sinal) apitaria o jogo sem ser incomodado dentro de campo e muito menos fora dele. E que a mãe de sua excelência, o árbitro, dormiria tranquila, por não ter sido desta vez, “a jení” do jogo, a culpada de todos os males.

Impensável ver o lateral esquerdo Igor Carius subir de cabeça na pequena área do CSA, marcar o gol da conquista do campeonato alagoano e não correr ao encontro da galera, que, se lá estivesse, cantaria a plenos pulmões: “galo eu te amo”.

A zoeira, de fato, ficou mesmo para as redes sociais, com uma infinidade de cartoons, banners e memes dos vencedores contra os derrotados. A explosão de alegria impedida nas dependências do estádio pelo coronavírus, fluiu no mundo virtual.

Cores e nomes para extravasar os gritos contidos contra quem quer que fosse por amor ao time de coração.

Foi assim que o mundo avermelhou de alegria em cada lar regatiano, sofá, cadeira e tamborete com a vitória do CRB.

Como dizem as incontáveis postagens nas redes sociais, a vitória do galo contra o azulão, contra os caranguejos, enfim, do campeão de Alagoas nesse histórico ano de pandemia que tem feito desgraça contra muita gente.

Menos, contra o melhor de Alagoas.

Salve o galo!

No ano pandemia do coronavírus, galo derrota o azulão

Faça-se o registro de um bom trabalho de arbitragem: Denis da Silva Ribeiro Serafim (CBF/AL) foi o árbitro principal. Ele foi auxiliado por Pedro Jorge Santos de Araújo (CBF/AL) e Maxwell Rocha da Silva (CBF/AL). Jonata de Souza Gouveia (CBF/AL) atuou como quarto árbitro e Charles Hebert Ferreira (CBF-AL) foi o analista de campo.

E para a história, as estrelas do jogo:

CRB Campeão – Victor Souza; Lucas Mendes, Gum, Ewerton Páscoa e Igor Cariús; Claudinei, Carlos Jatobá [Washington] e Diego Torres [Felipe Menezes]; Magno Cruz [Bill], Erik [Xandão] e Léo Gamalho [Thiaguinho].

Técnico – Marcelo Cabo.

CSA – Thiago Rodrigues; Norberto [Diego Renan], Alan Costa, Luciano Castán e Igor Fernandes; Márcio Araújo, Yago [Alecsandro] e Andrigo [Nádson]; Rodrigo Pimpão [Renatinho], Rafael Bilu [Allano] e Michel Douglas.

Técnico – Eduardo Baptista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.