20 de abril de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Mandetta diz que Guedes mentiu sobre compra de vacinas: ‘Desonesto, mentiroso’

Ex-ministro da Saúde afirma que os R$ 5 bilhões mencionados pelo ministro da Economia foram investidos em leitos e que as primeiras vacinas só surgiram após sua exoneração

Depois do ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmar que a compra de vacinas está atrasada “desde abril”, quando Luiz Henrique Mandetta ainda comandava a área, o ex-ministro da Saúde respondeu com veemência o Ipiranga de Jair Bolsonaro: ‘Desonesto, mentiroso’, disse ele à colunista Mônica Bergamo.

Como Guedes disse à CNN que Mandetta saiu com R$ 5 bilhões no bolso, ilustrando um grande atraso na compra de vacinas, Mandetta o corrigiu afirmando que a quantia foi destinada à compra de 15 mil leitos de CTI (Centro de Terapia Intensiva) e equipamentos de proteção individual, como máscaras, e testes “que o governo não usou e deixou vencer”.

Presidente Jair Bolsonaro durante entrevista coletiva sobre a pandemia de coronavirus com os ministros da Justiça, SergioMoro; Saúde, Henrique Mandetta; Economia, Paulo Guedes. Sérgio Lima/Poder360 18.mar.2020

“Em 16 de abril, eles me exoneraram, não me deixaram trabalhar porque o meu caminho sempre foi pela ciência. Eu sempre disse que o caminho de saída seria pela ciência e que compraríamos vacinas assim que tivéssemos a primeira oferta. Em agosto, quatro meses depois da minha saída, surgiram as primeiras propostas de laboratórios que estavam desenvolvendo vacinas e que queriam vendê-las ao Brasil”. Luiz Mandetta, ex-ministro da Saúde.

Mandetta afirmou ainda que a ‘incompetência e negacionismo’ de membros do governo, que Guedes ‘sempre fez coro’, seriam os principais responsáveis por levar o Brasil a essa situação, em que faltam imunizantes.

“Essa política está condenando pessoas à morte e empresas à falência, por responsabilidade dele e do governo”. Mandetta.