29 de julho de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Mourão reforça que Pazuello deve ser punido para evitar anarquia militar

Exército abriu procedimento disciplinar contra ex-ministro por participação em ato político, mas o presidente Bolsonaro insiste no contrário

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou nesta quinta-feira (27) que a eventual punição do ex-ministro e general Eduardo Pazuello (Saúde) por participação em ato político pró-governo Bolsonaro no fim de semana tem por objetivo “evitar que a anarquia se instaure dentro das Forças Armadas”.

“A regra tem que ser aplicada para evitar que a anarquia se instaure dentro das Forças. Assim como tem gente que é simpática ao governo, tem gente que não é”. Hamilton Mourão, vice presidente.

Segundo Mourão, ‘cada um tem que permanecer dentro da linha que as Forças Armadas têm que adotar’. O vice-presidente reforçou ainda que as Forças Armadas são apartidárias. “O partido das Forças Armadas é o Brasil”, completou Mourão, que é general da reserva Exército, na saída do gabinete da Vice-Presidência.

Procedimento disciplinar

O Exército abriu um procedimento disciplinar contra Pazuello, general da ativa e ex-ministro da Saúde do presidente Jair Bolsonaro. A participação de Pazuello em ato político pró-Bolsonaro no Rio de Janeiro foi considerada uma transgressão a normas do Exército, que vedam manifestações partidárias de militares da ativa.

O ex-ministro deverá se defender por escrito. Pazuello foi ao ato com a chancela do presidente da República, que, pela Constituição, exerce o comando supremo das Forças Armadas, o que ampliou o constrangimento nos meios militares.

Mourão foi questionado nesta quinta se Pazuello, ao ir a evento chamado por Bolsonaro, não estaria cumprindo ordens do comandante supremo das Forças Armadas. “É um entendimento meio canhestro da coisa. Não funciona dessa forma”, rebateu o vice.

Não é a primeira vez que Mourão critica o comportamento do ex-ministro. Na segunda-feira (24), ele defendeu a punição do general, mas disse que Pazuello poderia pedir transferência para a reserva para atenuar o problema.