21 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade
Esportes

Nike confirma que rompeu com Neymar por causa de investigação por abuso sexual

Denúncia diz que jogador tentou forçar, com uma funcionária da marca, sexo oral em um quarto de hotel enquanto estava na cidade de Nova York

Em informação publicada pelo “Wall Street Journal”, a Nike encerrou o contrato com Neymar em 2020 por causa de um suposto caso de abuso sexual contra uma funcionária da empresa.

O jogador foi denunciado em 2018, em um fórum organizado por lideranças da empresa para seus funcionários. Foi aberta uma investigação independente em 2019, de resultados considerados “inconclusivos” pela fabricante de material esportivo – o contrato com o jogador brasileiro foi rescindido pela postura dele ao se recusar a cooperar com as investigações.

De acordo com a publicação, a funcionária da Nike revelou a colegas e amigos que o jogador tentou forçá-la a fazer sexo oral em um quarto de hotel enquanto estava na cidade de Nova York.

Ela ajudava a coordenar eventos e logística para o atleta e sua comitiva. Em contato com a reportagem, a empresa contou que o suposto incidente teria ocorrido em 2016, sendo denunciado dois anos depois.

Segundo a empresa, a funcionária relutou em denunciar o jogador em um primeiro momento. Por isso, a Nike optou por respeitar a confidencialidade e não se manifestou sobre o incidente.

O Wall Street Journal relata que ela disse a pessoas que Neymar tirou a cueca e tentou forçá-la a fazer sexo oral no momento em que eles estavam sozinhos no quarto. A funcionária acrescentou ainda que o jogador tentou impedi-la de sair do local e chegou a persegui-la pelo corredor do hotel.

O estafe de Neymar negou a acusação. Puma, atual patrocinadora de Neymar, mas a empresa disse que não comentaria o assunto.