4 de março de 2021Informação, independência e credibilidade
Blog

Preço do gás para a pobreza em Maceió é pra chorar lágrimas de sangue

Enquanto isso, a classe politica faz questão de aumentar o fosso entre a pobreza e a riqueza e sabem o porquê

O botijão pela hora da morte de quem não pode pagar 100 reais

Se os ricos já estão a reclamar, embora timidamente, dos preços da gasolina e do diesel, imagine como não está o pobre da periferia, de salário mínimo, com o preço do botijão de gás?

Na última terça feira o governo reajustou o preço do gás de cozinha (GLP)  em 5,05% nas refinarias. Inevitavelmente, o aumento chegou as revendas.

Aqui em Maceió, a dona de casa liga para saber o preço do botijão e o vendedor pergunta: -É no dinheiro ou no cartão?

O fato é que em seguida as revendas anunciam ao cliente que no dinheiro e no cartão estão cobrando o mesmo preço, como se isso fosse uma promoção.

Mas, o preço, em verdade, diferencia de acordo com a distância para a entrega. Um revendedor no bairro da Jatiúca, por exemplo, se for entregar o botijão de gás no Santo Eduardo ele cobra R$ 98,00 (no dinheiro ou no cartão).

No entanto, o preço do gás em algumas localidades da capital alagoana passa de R$ 100, o botijão.

Isso dói no bolso e na cabeça do pai de família de renda mínima. É pra chorar lágrimas de sangue.

O gás encerrou o ano passado com alta de 9,24%, segundo o IPCA. Em janeiro deste ano recebeu mais 6% de reajuste nas refinarias. Agora em fevereiro teve o segundo aumento do ano de 5,05%. Ou seja, só este ano a alta é superior a 10%.

Mas, os salários dos trabalhadores não acompanharam sequer a alta da inflação de 4,52%. E aí está o sofrimento de quem desembolsa 100 reais para pagar só o botijão de gás. Sem falar no resto das compras para se manter vivo e limpo.

Enquanto isso, a maioria da classe política desse País continua a fazer o jogo de aumentar o fosso entre os milionários e a pobreza, com atitudes que fazem dos ricos ainda mais ricos. É um carnaval entre amigos.  Eles sabem muito bem o porquê.

E ainda mais por que nada disso dói na alma deles.

Miséria!