17 de janeiro de 2021Informação, independência e credibilidade
Justiça

Tutmés Ayran afirma que TJ/AL seguirá recomendações e não hesitaria em acaso de lockdown

Quase 80% dos leitos já foram ocupados, exatamente a quantidade que o Comitê Científico do Consórcio Nordeste recomenda para a medida mais extrema

De acordo com o presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), Tutmés Airan, o Poder Judiciário não descarta a adoção do lockdown no estado.

O avanço da contaminação do novo coronavírus em Alagoas preocupa. Quase 80% dos leitos já foram ocupados por pacientes com covid-19, exatamente o número que o Comitê Científico do Consórcio Nordeste recomenda para a medida mais extrema contra a doença.

Em números mais recentes, Alagoas tem mais de 2700 casos confirmados, quase 1500 suspeitos e mais de 164 mortos pela epidemia.

Até o momento, a medida foi adotada em quatro estados do Brasil para evitar um colapso da rede hospitalar. E, ao menos judicialmente, sua implementação não seria um problema:

“O lockdown é uma espécie de quarentena extrema, cuja necessidade precisa ser avaliada pelos órgãos técnicos envolvidos na questão. Se a partir de uma avaliação eles provocarem o Poder Judiciário, a gente vai analisar o caso e se a gente se convencer da pertinência do pedido, não tenha dúvida, pois não hestiaremos”. Tutmés Airan, desembargador presidente do TJ/AL.

Em reunião nesta quarta, o governador Renan Filho ouviu especialistas da área e não descarta a adoção da medida ao final do atual decreto, que se encerra em 20 de maio.