22 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Ufal tem surto de Covid e reitor suspende atividades presenciais

Ministro da Educação publicou no mês passado parecer que dizia não ser possível a exigência do comprovante de vacinação em universidades e institutos federais

Em nota conjunta, o reitor Josealdo Tonholo e o pró-reitor de Gestão de Pessoas, Wellington Pereira, informam que as atividades presenciais no Campus A.C. Simões, em Maceió, estão suspensas até dia 23 de janeiro.

Essa medida foi tomada para resguardar a saúde dos servidores e terceirizados da Universidade Federal de Alagoas, seguindo a Lei 13.979/2020, que contempla a necessidade de isolamento social em decorrência da pandemia de covid-19.

As atividades no Campus ainda não tinham sido completamente reestabelecidas e, mesmo em regime de rodízio de trabalhadores, foram confirmados 33 novos casos de Covid-19 somente entre os servidores e terceirizados que apresentaram sintomas de síndromes gripais.

No final de dezembro, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, publicou um parecer que dizia não ser possível a exigência do comprovante de vacinação em universidades e institutos federais. Ele foi elogiado pelo presidente, filhos e demais bolsonaristas.

O ato, no entanto, foi suspenso pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski.

Ufal

Seguindo as orientações das autoridades sanitárias, a gestão tomou a decisão baseada também nos resultados dos testes RT-PCR realizados nos dias 12 e 17 com servidores e terceirizados que atuam no Campus A.C. Simões.

O material foi coletado no prédio da Reitoria  e analisado pela equipe do Laboratório Molecular Clínico (LMC), instalado no Campus Arapiraca, que tem à frente do grupo a vice-reitora Eliane Cavalcanti.

A nota diz, ainda, que estão resguardadas as “atividades consideradas indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis ao interesse público e da Universidade”, definidas pelas chefias imediatas. E considerando a Instrução Normativa 90/2021 do Ministério da Economia.

O documento alerta a comunidade universitária sobre a obrigatoriedade do uso de máscara nas dependências da Universidade e recomenda que todos os servidores e terceirizados se vacinem.