25 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Vale: Depoimentos no MPF indicam omissão de falhas em barragem

Justiça do Trabalho autorizou um novo bloqueio de R$ 800 milhões; Total de bens bloqueados na conta supera R$ 1,6 bilhão

Após colher depoimentos, crescem as suspeitas no Ministério Público Federal (MPF) de que a Vale e a empresa alemã que deveria auditar a estrutura da barragem de Brumadinho (MG) atuavam em conluio para omitir problemas na obra.

De acordo com os investigadores, há  indícios de que a mineradora apresentou documentos incompletos e maquiados. Além disso, a Tüv Süd pode não ter cumprido todo o protocolo de verificação da segurança do empreendimento.

Segundo alguns relatos colhidos pelo MPF no último fim de semana deram conta de que, internamente, circulou na Vale a informação de que havia uma liquefação na barragem de Brumadinho.

Nesta semana, um dos principais advogados da Vale, Sergio Bermudes, disse que “não enxerga razões determinantes de sua responsabilidade” no acidente da barragem. Não só isso, ele disse que a diretoria da empresa não se afastará de seu comando “em hipótese alguma”.

Não demorou muito, a própria empresa corrigiu o profissional: A Vale informou, por meio de nota, que não autoriza ninguém a falar em nome da empresa após o rompimento da barragem. O texto foi divulgado logo depois da declaração de Sergio Bermudes:

“A Vale esclarece que não autorizou nem autoriza terceiros, inclusive advogados contratados, a falar em seu nome. A Vale volta a ressaltar, de forma enfática, que permanecerá contribuindo com todas as investigações para a apuração dos fatos e que esse é o foco de sua diretoria, juntamente com o apoio às famílias atingidas”.

Na noite desta quarta-feira (30), o Corpo de Bombeiros confirmou que pelo menos 99 pessoas morreram em decorrência da queda da barragem I da Mina do Feijão.

O Instituto Médico Legal de Belo Horizonte já identificou 57 vítimas da barragem, conforme dados da Polícia Civil. Entretanto, os números podem aumentar, já que as autoridades ainda informaram que outras 259 pessoas estão desaparecidas.

Nenhum sobrevivente é encontrado desde sábado.

Mais 800 milhões bloqueados

A Justiça do Trabalho autorizou um novo bloqueio de R$ 800 milhões da mineradora Vale, responsável pela barragem que se rompeu em Brumadinho. Na última segunda-feira (28), já haviam sido bloqueados R$ 800 milhões, valor correspondente a 50% do total pedido pelo Ministério Público do Trabalho em Minas Gerais (MPT-MG).

“Mais R$ 800 milhões foram bloqueados nas contas da Vale S.A, para assegurar pagamentos e indenizações trabalhistas. Com isso, o Ministério Público do Trabalho em Minas Gerais conseguiu assegurar um total de R$ 1,6 bilhão, que darão efetividade a resultados de ações e acordos extrajudiciais”. Nota do MPT-MG.

De acordo com o órgão, também foram impostas à mineradora obrigações como arcar com custos de sepultamento e a manutenção de pagamentos de salários a trabalhadores vivos e familiares de mortos e desaparecidos, além da entrega de documentos considerados fundamentais para a instrução do inquérito e apuração das condições de segurança na mina.