26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Vídeo: De sanfona, ministro do Turismo toca Pink Floyd no programa de Lacombe na RedeTV!

Gilson Machado é o mesmo que cantou ‘Ave Maria’ como homenagem aos mortos na pandemia durante live de Bolsonaro

Na noite desta segunda-feira (30), o programa Opinião no Ar, da RedeTV!, apresentado pelo bolsonarista Luís Ernesto Lacombe, teve como convidado o ministro do Turismo, Gilson Machado. E ele viralisou por tocar, de sanfona, “Another Brick In The Wall”, do Pink Floyd.

A palhinha foi acompanhada por Amanda Klein, Silvio Navarro e Rodrigo Constantino. Todos curtiram a música de autoria de Roger Waters, um hino contra o autoritarismo. Waters, aliás, chegou a ser vaiado e xingado por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, então ainda candidato, durante um show em São Paulo em 2018, no qual mostrou no telão a inscrição #EleNão.

Em dezembro do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro tornou oficial a exoneração de Marcelo Álvaro Antônio (PSL) do ministério do Turismo e colocou no lugar Gilson Machado, que comandava a Embratur (Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo).

Indicado no cargo por Arthur Lira, líder do centrão, uma semana antes Machado foi alvo de polêmica depois de, em live com Damares, focada no “Direito à vida e dignidade”, resolver criticar o sexo no “orifício rugoso infra-lombar”.

Seguindo a linha de homem “de bem e religioso”, sempre com seu saxofone, chegou a cantar Ave Maria em homenagem aos mortos nesta pandemia durante uma live presidencial. Machado é empresário da banda de forró eletrônico Brucelose.

The Wall

A banda britânica Pink Floyd compôs The Wall entre 1977 e 1979, com o álbum publicado em novembro de 1979. É considerado um dos álbuns conceituais mais conhecidos de todos os tempos, além de ser um dos álbuns mais vendidos já publicados. Quase 30 milhões de cópias.

Como partes de um álbum conceitual, as canções apresentam uma narrativa coesa e contam a história de Pink, um astro do rock que, após passar por vários traumas psicológicos na infância e no início da idade adulta, acaba se isolando do resto do mundo e dos sentimentos humanos, tornando-se um ditador megalomaníaco de coração frio.

O álbum inteiro pode ser visto como uma condenação à guerra e como um convite para ter empatia e ajudar o próximo. Roger Waters, um dos fundadores da banda,