26 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Justiça

Alfredo Gaspar sai em defesa dos membros do MP contra Gilmar Mendes

Ministro do STF aprofundou a guerra contra procuradores da Lava Jato na sessão que manteve na Justiça Eleitoral processos de crimes de corrupção quando houver Caixa 2

O procurador-geral de Justiça e presidente do GNCOC, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, repudia as críticas severas e agressivas proferidas pelo ministro Gilmar Mendes, colocando em dúvidas a idoneidade dos membros do Ministério Público brasileiro e a operação Lava jato.

Em nota, solidariza-se com os promotores de Justiça:

O Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas – GNCOC, integrado por Promotores e Procuradores dos mais diversos ramos do Ministério Público Brasileiro, componentes de grupos de combate ao crime organizado do Brasil inteiro, a exemplo dos GAECOs, vem a público externar enfaticamente a máxima repulsa em virtude das destemperadas declarações proferidas na data de ontem (14 de março de 2019) pelo Ministro Gilmar Mendes contra os dignos representantes do Ministério Público Federal, integrantes da Operação “Lava Jato”, e as recebe como reflexo de um comportamento irascível. Nenhuma adjetivação será suficientemente satisfatória para desagravar essa atitude descabida, de quem deveria guardar o máximo respeito ao decoro e à dignidade da Magistratura e da Justiça. Apresentamos, neste momento, aos Procuradores da República tão injustamente aviltados, nossa mais extrema solidariedade, confiança e reconhecimento pelo importante mister desempenhado em favor da honestidade, probidade e do Estado Democrático de Direito, na certeza de que toda a sociedade brasileira partilha do mesmo beneplácito, ao tempo em que reafirmamos a vocação institucional do Ministério Público Brasileiro, no combate às Organizações Criminosas, que será fielmente cumprido, apesar dos dissabores da caminhada. Reiteremos a convicção de que, na caravana da Democracia e da Justiça, que segue firme o seu rumo, o Ministério Público ombreará sempre com a sociedade. Respeitar o Ministério Público é prestigiar a Democracia!

ALFREDO GASPAR DE MENDONÇA NETO
Procurador-Geral de Justiça de Alagoas
Presidente do GNCOC

Gilmar Mendes

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), aprofundou a guerra contra procuradores da Lava Jato na sessão da corte desta quinta-feira (14), que manteve na Justiça Eleitoral processos de crimes de corrupção quando houver Caixa 2. Mendes atacou duramente o procurador Deltan Dallagnon, chefe da Lava Jato, chamando-o de “gangster”.

“Isso não é método de instituição, é método de gângster. Isso é uma disputa de poder em que se quer amedrontar as pessoas. Fantasmas e assombração aparecem para quem neles acredita”. Gilmar Mendes, ministro do STF.

Segundo Mendes, Dallagnol quer criar um fundo eleitoral para atacar e amedrontar os outros poderes.

“O que se pensou com essa fundação do Deltan Dallagnol foi criar um fundo eleitoral. Era para isso. Imagina o poder. Imagina quantos blogs teriam, quanta coisa teria a disposição. Veja a injustiça, veja a ousadia desse tipo de gente”. Gilmar Mendes.

Alvo preferencial dos lavajatistas, Mendes também revidou os ataques feitos pelo procurador Rodrigo Castor, citando artigo em que o membro da PGR critica a Justiça eleitoral.

“Gentalha, despreparada, não tem condições de integrar o Ministério Público. Nem pensamento estratégico tem. São uns cretinos”. Gilmar Mendes.