29 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Bia Kicis promove a “mártir da direita” PM que surtou na Bahia e atirou contra colegas

Qual a cor do sinal que Arthur Lira vai ligar após a insurgência da deputada bolsonarista e presidente da CCJ?

Um policial militar surtou e atirou várias vezes para cima no Farol da Barra, orla de Salvador, antes de ser baleado no fim da tarde deste domingo (28).

Durante toda a tarde, o PM andou de um lado para o outro, enquanto gritava e atirava pro céu. Foram quatro horas de negociação com o Batalhão de Operações Especiais (Bope), até que o soldado, que ainda não teve a identidade revelada e estava com o rosto pintado de verde amarelo, atirou na direção de outros policiais, que revidaram.

E nesse caso trágico, em que diversos agentes do Bope poderiam ter sido baleados, o soldado que infelizmente teve um surto está sendo usado como mártir da direita brasileira. E entre os envolvidos, está ninguém menos que a presidente da CCJ, a deputada bolsonarista Bia Kicis.

Leia mais: Bia Kicis não quer que oposição chame Bolsonaro de genocida

“Herói contra ordem ilegal”

Este foi o conteúdo do Twitter, já deletado, de Bia Kicis. Ele viu a besteira que fez, depois de mais vídeos chegarem. Entre eles, o do PM que teve o surto jogando isopores e bicicletas de trabalhadores no mar.

Ao mesmo tempo em que promove montagens pesadas, incluindo uma mão ensanguentada na foto do PM morto, Kicis afirma que ele morreu por “se recusar a prender trabalhadores”.

Ou seja: seguimos na mesma tecla de que a grande vilã nesta pandemia está sendo o lockdown, e não os responsáveis que a nível federal empurraram com a barriga até não dar mais a seriedade do vírus.

E como não poderia deixar de ser, uma guerra de desinformação, com políticos bolsonaristas e perfis com olhos verde-amarelo chorando já clamam por uma guerra entre PMs e governadores. Rui Costa, por exemplo, está sendo chamado de genocida.

Vai ficar muito feio: o Brasil não precisa encarar apenas a pandemia neste momento. Por causa da ingerência com o covid-19, o presidente da Câmara, Arthur Lira, ligou o sinal amarelo contra Bolsonaro. Ele vai ligar algum contra a insurgente Kicis?

Atualização

Kicis deletou sua mensagem pouco depois. Dela, vieram hashtags virulentas, chamando o governador da Bahia de genocida ou herói nacional. E como com toda boa fake news, ela deletou sua primeira besteira e fez mea culpa:

Mas não importa. A merda já estava feita. Os gritos de insurgência estão sendo feitos. As ofensas online perigam partir pra rua. Tudo porque a presidente da CCJ resolveu fazer merda e promover a heróis nacional um PM que teve um surto e agrediu civis, além de ter atirado contra o Bope.

Não é a primeira, nem será a última merda de Kicis em Brasília, que ultimamente tem atuando mais que não chamem o presidente Jair Bolsonaro de genocida, do que qualquer coisa. E já não dá mais pra sustentar ela na CCJ.