20 de abril de 2021Informação, independência e credibilidade
Maceió

Escola SEB Maceió afirma garantir segurança de estudantes e educadores durante pandemia

Colaboradores e alunos preenchem checklist diário para coibir a entrada de pessoas que tiveram contato com alguém suspeito de ter Covid 19

Apesar do avanço de casos da Covid-19 em Alagoas durante esta 2ª onda da pandemia, o decreto de distanciamento social vigente permitiu um sistema híbrido com aulas virtuais e presenciais nas escolas particulares.

Ao contrário das escolas públicas, as instituições particulares de Alagoas seguem recebendo alunos em sala de aula, uma preocupação de professores, que o É Assim reforçou com o Sinpro-AL, o sindicato da categoria.

O presidente do sindicato, Eduardo Vasconcelos, que compreendeu a difícil situação imposta nas instituições, trabalhadores e alunos,  concluía uma denúncia contra a escola SEB, segundo ele “uma das que mais desrespeita os protocolos sanitários”.

A mediação entre Sinpro e SEB, de número 000464.2021.19.000-3, teve início em 17/03 no Ministério Público do Trabalho de Alagoas, e segundo Vasconcelos contou com anexo de fotos, já encaminhadas ao MPT-AL

A instituição, em resposta ao É Assim, afirma ainda não ter sido notificada sobre a ação, mas sua assessoria garante a segurança de estudantes e educadores durante o retorno presencial.

“As medidas sanitárias foram adotadas para garantir a segurança de todos e estão sendo cumpridas por toda escola. É importante ressaltar: não tivemos nenhum caso de transmissão dentro da nossa escola”. Assessoria do SEB.

Consultoria Einstein

Para se adaptar nesse período, a escola conta com a assessoria da Consultoria Einstein, respeitando as recomendações da equipe médica estão, como o distanciamento social, uso de máscara obrigatório, álcool gel, revezamento das turmas, horários de aula, de entrada e saída escalonados e higienização das mãos na chegada dos alunos.

“Tanto colaboradores quanto alunos tem que preencher um checklist diário, visando coibir a entrada de pessoas que tiveram contato com alguém suspeito de ter Covid 19 no ambiente escolar. Todos os protocolos para evitar a contaminação por Coronavírus estão sendo rigorosamente seguidos pela comunidade escolar, tanto que não tivemos nenhum caso de transmissão da doença dentro do nosso ambiente”. Assessoria do SEB.

O grupo salienta ainda que os casos confirmados de Covid são de pessoas se contaminadas fora da escola e que não tiveram contato com o o ambiente escolar. Independente disso, quando for o caso, a orientação é comunicar as autoridades:

“As pessoas que tiveram contato com a pessoa positivada são dispensadas para cumprir isolamento social durante 14 dias e realizam teste para o Coronavírus. Somente se apresentarem teste negativo (RT PCR) podem voltar a frequentar o ambiente escolar. Caso a pessoa se negue a fazer o teste, consideramos o caso como positivo e afastamos a pessoa e quem teve contato com ela por 14 dias”. Assessoria do SEB.

Os protocolos são chancelados pela Consultoria Einstein e nisso inclui a realização de auditorias. No final de fevereiro, a Consultoria esteve na escola, verificando o cumprimento dos protocolos e todas as informações repassadas a eles.

Mais de 2.500 alunos

Neste ano, a escola confirma que mais de 2.500 alunos estão matriculados. E estes alternam, a cada semana, a frequência de aulas presenciais e virtuais: há um rodízio de metades deles neste sistema híbrido.

E para tanto, as famílias são obrigadas a preencher um checklist diariamente, o que permitiu que aulas fossem suspensas por suspeitas de covid-19:

“Caso alguma família aponte que o aluno ou alguém da família teve sintomas, afastamos aquela turma preventivamente por 14 dias. Caso o exame (RT PCR) seja negativo, aí voltamos com os alunos para o ambiente escolar”. Assessoria do SEB.

Pandemia

Diante de tudo isso, a instituição reconhece que a pandemia chegou no momento mais crítico, em todo o país. E afirmou que esse é um momento de respeitar as orientações médicas, utilizar máscaras, álcool gel e evitar aglomerações. E que as pessoas não se contaminariam na escola. “Trazem a doença até nós”.

“Educação deve ser tratada como serviço essencial. Uma geração inteira de crianças, jovens e adolescentes pode ser prejudicada por permanecer vários meses longe do ambiente escolar. Precisamos nos unir, enquanto sociedade, para garantir que o aprendizado seja oferecido a todos”. Assessoria do SEB.