18 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Pró-Lula, Renan articula para MDB desistir de Tebet como candidata à presidência

Partido do senador alagoano anunciou candidatura única com o União Brasil (de Moro) e PSDB (Doria ou Leite)

Eleitor do petista Luis Inácio Lula da Silva, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) já articula para retirar a indicação de seu partido a indicação da senadora Simone Tebet como candidata à presidência nas eleições desse ano.

Os partidos União Brasil, MDB, PSDB e Cidadania decidiram lançar um candidato único à presidência da República, em 18 de maio, e isso pode atrapalhar não só os números de Lula como o cenário em Alagoas.

Com o vice assumindo a prefeitura de Arapiraca dois anos atrás, o governador de Alagoas Renan Filho deixou o governo para disputar o senado.

E para não perder o controle do governo, já articulou com a Assembleia local, que conta com maioria esmagadora de deputados estaduais, inscritos no MDB, que devem na eleição indireta apontar o candidato de Filho, o deputado Paulo Dantas.

Lula, Paulo Dantas e Renan Filho. Fotos: Márcio Ferreira

Leia mais: Lula, Paulo Dantas e Renan Filho confirmam união nas eleições

Assim como o pai, Renan Filho vai colocar sua imagem com o petista Lula, mas essa candidatura única do MDB (Tebet), com União Brasil (Sergio Moro) e PSDB (João Doria ou Eduardo Leite) pode atrapalhar o cenário estadual por causa da coligação nacional.

Terceira via

Essa tentativa de sobrevivência da terceira via era tudo que o pai, o senador Renan Calheiros, não queria.

Contra Tebet, pesa ela não passar de 1% nas pesquisas. O tucanato sonha com a troca de João Dória por Eduardo Leite. Tem ainda o ex-juiz Sérgio Moro no bolo.

A terceira via não cresceu de acordo com as pesquisas eleitorais, mas os dirigentes partidários acreditam que a unidade partidária nesse campo fará a diferença. Na composição, o bloco exclui o PDT de Ciro Gomes, até por que esse não abre mão de ser o candidato.

Leia mais: Aliança dos candidatos da terceira via é tudo que Renan Calheiros não queria

E em entrevista à revista Veja, Renan afirmou que Lula é o único candidato que pode vencer uma disputa com o presidente Jair Bolsonaro (PL). Uma das pesquisas eleitorais mais recentes, a Quaest Consultoria divulgada em 7 de abril, mostra Lula próximo de vencer em primeiro turno, mas uma terceira via com pouca força.

“Para fazer o enfrentamento do Bolsonaro tem que ser com a candidatura do Lula. Não tem nada em segredo. Temos 14 diretórios cujas lideranças preferirão Lula, lideranças que têm projeto de poder estadual, têm governo, têm prefeituras de capitais e têm uma grande quantidade de prefeituras nos municípios”. Renan Calheiros à Veja.

Renan participa hoje de um “jantar de frente ampla” com o ex-presidente Lula em Brasília. O encontro reunirá um grupo de senadores de vários partidos que apoiam Lula, segundo o jornal O Globo. Entre eles, Omar Aziz (PSD-AM), Acir Gurcacz (PDT-PR) e Katia Abreu (PP-TO).

“Lula virá a Brasília e vamos conversar sobre circunstâncias estaduais, como ficarão os apoiadores do Lula no MDB e como encaminharemos nossa posição na convenção partidária”.

Não é o primeiro embate entre Renan Calheiros e Simone Tebet. Em 2019, eles disputaram a indicação do MDB ao cargo de presidente do Senado.