21 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Após ofensas de Bolsonaro em AL, Renan Calheiros responde: ‘428 mil vítimas’

Presidente “regeu” plateia em Maceió que gritava “fora Renan” e “Renan vagabundo”, enquanto ex-presidente da Pfizer confirmava na CPI que governo recusou três vezes acordos para vacina em 2020

O senador e relator da CPI da Pandemia, Renan Calheiros, postou em suas redes sociais, nesta quinta-feira (13), afirmando que o presidente Jair Bolsonaro foi a Alagoas em avião presidencial inaugurar obra já inaugurada por seu filho, o governador Renan Filho (MDB). E foi além, dizendo que o presidente o atacou pessoalmente, assim como a CPI.

“Eu quero, em resposta ao presidente da República, dizer que o que nos preocupa verdadeiramente é o número do mortes que aconteceu no Brasil. São mais de 428 mil vítimas. Se ele não respeita a CPI, por favor, pare com baixaria, porque ele tem interesses e defende seus interesses. Nós temos uma causa. As suas agressões são socos no ar. Essa CPI não vai sucumbir a isso. Vai cumpri o seu papel”. Renan Calheiros.

Com legenda em seu tweet, o senador disse: “São inúteis as tentativas do presidente de tentar me intimidar. São infrutíferas as manobras para mandar o filho me ofender e a visita a MCZ para inaugurar obra já inaugurada. Minha resposta será trabalho e empenho. O país já sabe que Bolsonaro e bom senso não cabem na mesma frase”.

Renan Filho

Seu filho, o governador de Alagoas, que ficou de fora da inauguração do Viaduto da PRF (investimentos na ordem de R$ 77,4 milhões, conquistados após interferências do senador Renan Filho, nos governos Dilma e Temer), também soltou uma nota de repúdio ao presidente Jair Bolsonaro

“Acuado pela investigação na CPI e despencando em popularidade, o presidente Jair Bolsonaro mostra desespero em visita à Alagoas, ataca pessoas e o Congresso Nacional. Respeito às instituições e à democracia não está entre suas características.
Por aqui presidente, responderemos a esse tipo de violência, com gestão resolutiva, obras com recursos próprios, contas organizadas, priorizando salvar vidas na pandemia e colocando sempre o povo acima dos interesses políticos. Vale informar ao Brasil, Alagoas resistiu”! Renan Filho.

Bolsonaro em Maceió

Em Alagoas, o presidente Jair Bolsonaro chamou o senador Renan Calheiros de “picareta” e “vagabundo”. Claro, não o citou por nome, mas não houve dúvidas para quem fora o recado.

Durante eventos em Maceió, o próprio presidente incentivou coros do público contra o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito.

“Se esse indivíduo quer fazer um show tentando me derrubar, não o fará. Somente Deus me tira daquela cadeira”. Jair Bolsonaro, presidente.

E enquanto a plateia gritava “fora Renan” e “Renan vagabundo”, o presidente fazia gesto com as mãos, ‘regendo’ os presente. Ele ainda simulou um “chute” com as mãos.

O público presente também se manifestou com coros contra o ex-presidente e o PT, como “Lula ladrão” e “nossa bandeira jamais será vermelha”.

Agenda

Em Maceió, ele entrou ao lado do prefeito de Maceió, JHC, e do senador Fernando Collor, 500 habitacionais do Residencial Oiticica I, no Benedito Bentes. No habitacional foram investidos R$ 40 milhões, orçamento conquistado graças ao residenciais do Minha Casa Minha Vida.

Ele também estará na inauguração do Viaduto da Polícia Rodoviária Federal. Com ele estará o ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas e do diretor-geral do DNIT, general Santos Filho.

Não deve estar presente o governador do estado, Renan Filho. A obra teve investimentos na ordem de R$ 77,4 milhões, conquistados após interferências do senador Renan Filho, nos governos Dilma e Temer.

Por fim, às 14h, será inaugurado o Trecho IV do Canal do Sertão Alagoano. A obra, com extensão de 30,47 quilômetros, deve beneficiar mais de 113 mil moradores e pequenos produtores rurais da região.