18 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Em campanha, Bolsonaro elogia Ustra, diz “combater o mal” e quer silenciar Lollapalooza

Jair estava ao lado de Collor e Valdemar Costa Netto em evento do PL e disse embrulhar o estômago por ter que seguir Constituição

O presidente Jair Bolsonaro está em plena campanha política, de olho nas eleições 2022. E não é de hoje. Seja em motociatas, agremiações em suas longas férias ou mesmo eventos públicos em que “se descontrola”, ele entona o “é melhor Jair se acostumando 2022”.

E neste domingo, não foi diferente: discursando em evento de seu partido, em Brasília, ele afirmou que sua luta é do “bem contra o mal”, e não da “esquerda contra a direita”.

Leia mais: Bolsonaro volta a pregar fim da urna eletrônica e debocha de ministros do TSE

Também criticou pesquisas eleitorais que apontam liderança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa pela Presidência e elogiou o coronel Carlos Brilhante Ustra, morto em 2015, condenado pela Justiça por tortura durante a ditadura militar.

Ustra (1932-2015) atuou no DOI-Codi e para o presidente, o coronel “lutou por democracia”. Ustra também foi mencionado por Bolsonaro em seu voto pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em 2016. O presidente disse que citou Ustra por “dever de consciência”.

Seguindo ainda com absurdos de seu mundo de fantasia, seguiu afirmando que não existe corrupção em seu governo. Apenas o ministro da Educação priorizando pastores que pedem ouro em troca de favores políticos seria um deles.

Presidente do PL de Bolsonaro, Valdemar Costa Neto foi preso e condenado em 2012 por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 7 anos e 10 meses no mensalão

Filia Brasil

Antes anunciado como lançamento da pré-candidatura de Jair, o evento passou a ser chamado de “Movimento Filia, Brasil”. A mudança aconteceu depois de advogados da campanha temerem propaganda eleitoral antecipada e problemas com a Justiça Eleitoral.

Leia mais: Valdemar Costa Neto manda um VTNC para Bolsonaro e filhos
Para não ficar sem poder Collor pode desistir da disputa pelo Senado

Desinformado ou fazendo o que desse na telha, ontem o próprio Bolsonaro afirmou que se tratava do lançamento da pré-candidatura. Da mesma forma que dias antes afirmava ter uma funcionária fantasma.

E a campanha rolava solta, com música e com o público gritando o nome do presidente, enquanto um apresentador ao estilo de rodeios puxava coros e bradava que Bolsonaro “representa a dignidade do povo brasileiro”.

Lollapalooza

O evento do aconteceu no mesmo dia em que o TSE acatou, em decisão liminar, um pedido do partido de Bolsonaro para classificar como propaganda eleitoral as manifestações políticas das cantoras Pabllo Vittar e Marina no Lollapalooza.

O TSE também determinou multa de R$ 50 mil para a organização do evento em caso de novas manifestações.

No evento de ontem, claro, ele criticou Lula e as pesquisas eleitorais que apontam o ex-presidente Lula na liderança, dizendo que “uma pesquisa mentirosa publicada 1.000 vezes não fará um presidente da República”.

“Para defender a nossa liberdade e a nossa democracia, eu tomarei a decisão contra quem quer que seja. E a certeza do sucesso é que eu tenho um exército do meu lado. E esse exército é composto de cada um de vocês. Poderemos até perder umas batalhas, mas não perderemos a guerra por falta de lutar, vocês sabem do que estou falando”. Jair Bolsonaro.

Apesar do tom de ameaça, declarou também que respeita a legislação brasileira. “Por vezes me embrulha o estômago ter que jogar dentro das quatro linhas, mas eu jurei, e não foi da boca para fora, jogar dentro da Constituição.”