28 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Bolsonaro diz que vai acionar “nossas Forças Armadas” contra decretos de Governadores

Em entrevista no programa de Sikêra Jr, presidente prometeu “jogar nas linhas da Constituição” e espera se livrar das máscaras: “quem diz que não incomoda, é mentiroso”

Em mais um espetáculo patético diante das câmeras, o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar medidas contra o avanço do coronavírus no Brasil. E chegou a ameaçar os governadores do Estado com o uso das Forças Armadas, mostrando ser contrário às medicas de distanciamento social.

“O que eu me preparo, não vou entrar em detalhes… O caos no Brasil. Já falei que essa política do lockdown, do toque de recolher, essa política de ‘fique em casa’… Isso é um absurdo”. Jair Bolsonaro, presidente.

As declarações foram dadas em Manaus, no programa do bolsonarista Sikêra Jr. Curiosamente, Manaus foi o primeiro local do Brasil a sofrer com falta de oxigênio nos hospitais, origem da mutação mais contagiosa e letal da covid-19.

Além disso, o próprio Sikêra sofreu com as consequências da covid-19 e apesar de fazer campanha contra a “vachina”, foi imunizado com a Coronavac.

“Se tivermos problemas, nós temos um plano de entrar em campo. Eu sou o chefe supremo das Forças Armadas. O nosso Exército, as nossas Forças Armadas, se precisar, nós iremos para as ruas. Mas não para manter o povo dentro de casa, e sim para restabelecer todo o artigo 5º da Constituição. Se eu decretar isso, vai ser cumprido este decreto. Então, as nossas Forças Armadas podem ir para a rua um dia, sim, dentro das quatro linhas da Constituição para fazer cumprir o artigo 5º, direito de ir e vir, acabar com essa covardia de toque de recolher, [garantir o] direito ao trabalho, liberdade religiosa de culto, para cumprir tudo aquilo que está sendo descumprido por parte de alguns governadores e alguns poucos prefeitos”. Jair Bolsonaro, presidente.

Bolsonaro é crítico constante das medidas restritivas e dos governadores. E isso fez aumentar a pressão pela ineficiência do governo federal no combate à pandemia. Desta vez, no entanto, ele falou em “nosso Exército”, já que da outra vez falou que as Forças Armadas era dele. E que ele mesmo em pessoa seria a Constituição.

Leia mais: “Falta de interesse” em cloroquina frustra Bolsonaro: ‘Impressionante como só se fala em vacina’

Vale lembrar: Brasil sofreu com a explosão no número de casos e mortes em decorrência da covid-19. Há 38 dias, desde 17 de março, o índice de mortes tem se mantido acima de 2.000. A taxa é atualizada com base na última atualização do consórcio de veículos de imprensa.

Apesar de tantas mortes, Bolsonaro segue com mimimi pelo uso de máscaras: ele torce para que a imunização de rebanho seja alcançada com a vacinação e que o equipamento de proteção não seja mais necessário: “quem diz que a máscara não incomoda é mentiroso”.

Se conseguir, veja aqui a entrevista na íntegra: