28 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Conselho Estadual dos Direitos da Mulher se preocupa com aumento da violência

Aumento da violência durante o carnaval e ausência de medidas concretas de prevenção, proteção e atendimento foi discutido com a deputada estadual Jó Pereira (MDB)

A preocupação acerca do aumento da violência contra as mulheres durante o carnaval e da ausência de medidas concretas de prevenção, proteção e atendimento a esse grupo foi um dos assuntos discutidos em uma reunião entre a deputada estadual Jó Pereira (MDB) e representantes do Cedim (Conselho Estadual dos Direitos da Mulher).

No encontro ocorrido no gabinete da parlamentar, na Assembleia Legislativa, o grupo conversou ainda sobre a pauta a ser apresentada na audiência pública, marcada para o dia 18 de março, para debater a violência contra a mulher.

 “Acredito que seria crucial que as delegacias das mulheres permanecessem abertas durante o carnaval, para o atendimento as mulheres vulneráveis a violência, ou seja, todas as mulheres, e acrescento aí as travestis e transexuais como segmento feminino… Também é importante que se tivesse um olhar mais específico sobre a questão do assédio, que já é naturalizado no cotidiano, e fica ainda mais exacerbado durante o período de carnaval”. Ana Ferreira, presidente do Cedim.

Segundo dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, nos meses em que o carnaval ocorre, o índice de violência sexual, para citar apenas um deles, contra mulheres aumenta em torno de 20% em comparação aos outros períodos do ano.

Mesmo diante dos números que deveriam servir de alerta, Jó Pereira lembrou que existem apenas três delegacias especializadas em Alagoas, nenhuma funcionando 24 horas, e compartilhou a informação recebida de que, em uma dessas delegacias, a delegada só estará de volta no dia 11 de março. A deputada ressaltou que será absurdo caso tal fato ocorra.

“Apesar de ser uma festa de celebração da alegria e diversão, o carnaval é também uma época onde historicamente aumenta o número de denúncias e ocorrências envolvendo violência de todas as naturezas contra a mulher… Aumenta o consumo de álcool e de drogas ilícitas, então é um período em que precisamos reforçar a proteção à mulher e estendê-la para outras populações vulneráveis, como as crianças, adolescentes e idosos”. Jó Pereira, deputada estadual (MDB).

Para além da questão pontual, a parlamentar alertou acerca da fragilidade de políticas públicas, principalmente de prevenção, e da rede de atendimento para as mulheres no Estado:

“Estamos sem o atendimento e sem a proteção adequadas. É necessário que haja sim essas políticas de fortalecimento, acolhimento e principalmente de educação. É preciso fortalecer a discussão sobre gênero nas escolas, mostrando a necessidade de combater o machismo, uma questão cultural em estados como o nosso, e incentivar o respeito à mulher, ao idoso, a criança, ao ser humano como um todo”. Jó Pereira.