13 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Flávio Bolsonaro: Movimentação milionária é da venda de apartamentos

Quando começou na vida pública em 2002, filho do presidente declarou um Gol 1.0 como único bem

Em nova entrevista à TV Record, que vai se consolidando como principal meio de comunicação na televisão do atual governo, o senador eleito pelo Rio, Flávio Bolsonaro, deu novas explicações para as movimentações atípicas encontradas no Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) e veiculadas na Rede Globo: os milhões são de vendas de apartamentos.

Documentos m cartórios mostram que o filho do presidente registrou, de 2014 a 2017, mesmo período da movimentação dos R$ 7 milhões de Queiroz, a aquisição de dois apartamentos em bairros nobres do Rio de Janeiro, ao custo informado de R$ 4,2 milhões.

A movimentação atípica de mais de R$ 1 milhão, identificada pelo Coaf, teria sido a quitação de uma dívida com a Caixa neste valor para aquisição de um dos apartamentos que comprou, no bairro das Laranjeiras. O débito foi pago em 29 de junho daquele ano e Flávio comprou o imóvel na planta, por valor declarado de R$ 1,753 milhão.

Já em 2017 ele se desfez do imóvel, fazendo uma permuta. Ele recebeu em troca uma sala comercial na Barra da Tijuca e um apartamento em na Urca, além de R$ 600 mil em dinheiro. Na escritura, o imóvel que ele deu subiu de valor, passando a custar R$ 2,4 milhões. O novo bem, na Urca, teve valor registrado de R$ 1,5 milhão. E que ele já vendeu, em maio de 2018.

O Jornal Nacional revelou nesta sexta (18) que o senador eleito recebeu R$ 96 mil em um período de cinco dias, entre junho e julho de 2017. Foram 48 depósitos no valor de R$ 2.000, realizados em espécie no autoatendimento da agência bancária que fica dentro da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio).

Ele explicou que os depósitos foram fracionados em R$ 2.000 porque esse era o limite aceito no caixa eletrônico. E como a parte recebida foi em dinheiro vivo, isso explica os depósitos fracionados em sua conta bancária.

Antes de resolver das explicações, Flávio Bolsonaro sumiu das redes sociais e pediu foro privilegiado no STF, para que a investigação de seu ex-assessor, o amigo Queiroz, fosse suspensa e apelou pro conforto do pai, que vinha sendo criticado. Antes disso, Queiroz havia dito que movimentou R$ 1 milhão vendendo carros, antes da denúncia dos R$ 7 milhões.

Até mesmo um valor de R$ 24 mil foi depositado na conta da primeira dama, Michele Bolsonaro. O presidente disse que havia sindo um empréstimo. Ele não gostou dos tons das denúncias e disse que as provas foram obtidas de forma ilegal.

Milionários

Até janeiro do ano passado, Bolsonaro e seus três filhos eram dono de 13 imóveis com preço de mercado de pelo menos R$ 15 milhões, a maioria em pontos valorizados do Rio. No mesmo período, Flávio havia negociado ao menos 19 imóveis nos últimos 13 anos.

Vale lembrar que ao menos em parte das transações, o valor declarado pelos compradores e vendedores é menor do que aquele usado pela prefeitura para cobrança de impostos. E quando começou na vida pública em 2002, o senador eleito tinha como único bem na época um Gol 1.0, segundo sua declaração de bens.

O salário de um deputado estadual do Rio é de R$ 25,3 mil brutos. Na entrevista, Flávio Bolsonaro afirmou que o salário é a menor parte de seus rendimentos, creditando seu maior volume à atividade empresarial, mas sem especificar qual seria o negócio.

Entrevista na íntegra