26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Justiça

MPE/AL vai apurar em inquérito a responsabilidades de parentes de idosa abandona que faleceu no HGE

Seu resgate só aconteceu após o caso virar notícia, apesar de denúncia no MPE desde outubro do ano passado

O Ministério Público do Estado de Alagoas vai instaurar inquérito civil para apurar a responsabilidade dos familiares da idosa Maria Izabel de Jesus dos Santos, de 101 anos, que estava internada no Hospital Geral do Estado (HGE) e, no início da manhã desta quinta-feira (19), morreu em decorrência de um quadro de derrame pleural.

No último dia 11, após mobilização do Núcleo de Defesa do Idoso do MPAL e da rede de proteção à pessoa idosa, ela foi resgatada de sua residência, no bairro da Jatiúca, em estado de abandono e já apresentava delicado quadro de saúde.

Leia mais: Senhora de 101 anos abandonada pela família morre no HGE

O inquérito civil para apurar o porquê daquela senhora estar vivendo sozinha, sem qualquer assistência familiar, será conduzido pela promotora de Justiça Dalva Tenório, titular da 59ª Promotoria de Justiça da capital, que tem atribuição para atuar na área de crimes contra idosos.

“Vamos requisitar informações ao HGE sobre o tratamento que ela recebeu no hospital e ouviremos, claro, os vizinhos. Em constatando que houve desídia ou abandono por parte dos familiares, eles serão devidamente responsabilizados”. Dalva Tenório.

O primeiro passo para essa apuração será a oitiva dos vizinhos, que havia algum tempo, estavam fazendo o papel dos parentes ao cuidar da senhora Maria Izabel de Jesus dos Santos.

O resgate

No último dia 11, após ser acionada, a promotora de Justiça Marluce Falcão mobilizou a rede de saúde e de proteção à pessoa idosa para fazer o resgate da Izabel. O Samu foi acionado para levar a senhora para o HGE que, tão logo recebeu a paciente, já adotou todos os cuidados necessários.

Inclusive, o Ministério Público já havia viabilizado uma vaga na Casa de Ranquines, entidade sem fins lucrativos, para que a idosa ficasse abrigada na instituição, de modo que pudesse receber a assistência devida.