28 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Presidente da Caixa nega que classe média vá pagar mais juros na habitação

Pedro Guimarães disse ter ficado incomodado e culpou parte da imprensa que, segundo ele, distorceu suas palavras

Com o governo voltando atrás nas suas falas, tudo se torna fake news. Assim como na “meta de 100 dias”, a base norte-americana em território brasileiro ou mesmo as desventuras confusas de Bolsonaro no reino da economia.

Desta vez, o novo presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse que iria reajustar, com base no cobrado pelo mercado, os juros destinados aos trabalhadores de classe média que optam pelo financiamento habitacional.

Mas prometendo se encaixar no novo Governo, ele recuou sua fala, menos de 24 horas depois, e negou nesta terça-feira (8) que vai haver aumento dos juros no financiamento da casa própria para a classe média.

Claro, Guimarães disse ter ficado incomodado e culpou parte da imprensa que, segundo ele, distorceu suas palavras quando ele falou que os juros da classe média atenderiam as regras de mercado:

“O menor juros que existe no Brasil para crédito imobiliário é o do Minha Casa Minha Vida. Você querer comparar Minha Casa Minha Vida com crédito imobiliário para classe média não é correto matematicamente. É óbvio que juros para classe média é maior, aí trocaram o que eu falei para dar manchete. É uma desonestidade intelectual”. Novo presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.

Além de negar o aumento dos juros para a classe média, o presidente da Caixa reafirmou que as taxas permanecerão acima dos juros do programa Minha Casa Minha Vida, voltando para as classes mais baixas. Segundo ele, os juros do Minha Casa Minha Vida são subsidiados e os juros para classe média estão num patamar mais elevado.