29 de julho de 2021Informação, independência e credibilidade

Dia: 11 de julho de 2021

Morre de Covid-19 o ex delegado geral de Polícia de Alagoas, José Edson

Morre de Covid-19 o ex delegado geral de Polícia de Alagoas, José Edson

Brasil
Vítima do Covid-19, morreu nesta domingo, 11 de julho, o  delegado da Polícia Civil de Alagoas (PC/AL), José Edson de Medeiros Freitas Júnior. A morte dele foi confirmada pela família nas redes sociais, Mais conhecido como Zé Edson, o delegado exercia o cargo de  Corregedor da Polícia Civil. Ele esteva internado em um hospital particular de Maceió desde maio deste ano. José Edson Júnior ingressou na Polícia Civil de Alagoas, em concurso realizado no ano de 2002, e exerceu a função de Delegado Geral da Polícia. Luta pela vida Na luta contra a doença, o delegado Zé Edson passou grande parte de sua internação hospitalar dentro da  Unidade de Terapia Intensiva aérea (UTI), dependendo da Oxigenação Extracorpórea por Membrana (ECMO). Por  diversas vezes sua família pediu apoio de amigos,
Ministério da Saúde contrata empresa multada e advertida 75 vezes durante a pandemia

Ministério da Saúde contrata empresa multada e advertida 75 vezes durante a pandemia

Brasil
Alvo de suspeitas de corrupção na compra de vacinas, o Ministério da Saúde escolheu uma empresa multada e advertida pelo menos 75 vezes por descumprir contratos com o próprio governo federal para fornecer diluentes a imunizantes da Pfizer contra a covid-19. O negócio com a FBM Farma, selecionada num processo sem licitação, chamou a atenção da Controladoria Geral da União (CGU), que identificou uma série de falhas, além do histórico de problemas. Relatório da CGU, ao qual o Estadão teve acesso, aponta sobrepreço de R$ 2,5 milhões no valor do produto, além de critérios adotados para a compra que limitaram a participação de outros fornecedores. O processo de compra dos diluentes, que começou em abril e ainda está em negociação, envolve duas áreas que já enfrentaram denúncias de i
Efeito Braskem: Após 45 anos de atividades atrás do Cepa o Bar do Lula deixa o lugar de origem

Efeito Braskem: Após 45 anos de atividades atrás do Cepa o Bar do Lula deixa o lugar de origem

Cotidiano, Maceió
Com mais de 45 anos de atividade entre o Farol e o  Pinheiro, bem atrás do Cepa, o Bar do Lula é obrigado a deixar seu lugar de origem por força do crime ambiental da Braskem, que transformou em ruínas quatro bairros de Maceió. Famoso pelo seu cardápio caseiro de qualidade e pelo atendimento da família do senhor Luiz Ramos aos clientes, o bar marcou história como um dos melhores da cidade no seu gênero. Logo que nasceu, o bar construiu sem carro-chefe: o Chambaril preparado por dona Quitéria que é uma iguaria. Assim, a casa construiu sua fama e o prato tornou-se o mais vendido. Juntam-se a ele a Costela com Quiabo e a tradicional feijoada das sextas-feiras. A tristeza pela saída do lugar "construído com muito esforço e dedicação"  é uma só, diz o Lula Manguito, como é conhecid
Quem quiser gritar que grite: Fora Tite ou fica Tite

Quem quiser gritar que grite: Fora Tite ou fica Tite

Esportes, Marcelo Firmino
Se o Tite já estava ameaçado antes da Copa América, feita às pressas no Brasil, agora é que sua cabeça vai a prêmio. Há uma corrente político-futebolista no País que pede a demissão do treinador pela derrota na disputa do titulo da Copa, no jogo contra a Argentina, em pleno Maracanã, neste sábado, 10 de julho. Tite era contra a realização da Copa no Brasil por causa da pandemia. Mas, o presidente Jair Bolsonaro queria a copa de todo o jeito. Isso foi o bastante para o técnico cair em desgraça. Enfim, a Argentina foi a final, jogou melhor que o Brasil e ganhou o jogo por 1 a 0, gol de Di Maria. Os milionários jogadores brasileiros saíram tristes. Alguns até choraram - sabe-se lá que lágrimas - mas o Tite certamente vai arrumar as malas. Já colocaram a cabeça dele a prêmio
Tocando o terror: mulher presa por bater panela e cozinheiro preso por reclamar

Tocando o terror: mulher presa por bater panela e cozinheiro preso por reclamar

Blog, Brasil, Marcelo Firmino
Em dia de passeio de moto de Jair Bolsonaro e apoiadores pelas ruas de Porto Alegre uma mulher, com mais de 40 anos, fez seu protesto batendo panela. Ela não sabia que agora é proibido se manifestar contra o rei. Resultado: Foi presa como uma terrorista que estava ameaçando as vidas dos motoqueiros com uma arma pra lá de mortal: uma panela. Não foi outro o destino de um cozinheiro que, pelo Facebook,  reclamou que iria cozinhar para o motoqueiro mor. Eduardo Lazzari, o cozinheiro, trabalhava no  Hotel Spa do Vinho, em Bento Gonçalves (RS). A Polícia Federal o prendeu. No Face, antes da prisão, ele reclamou: "Vou ter que cozinhar para este diabo ainda, que raiva”. Não imaginava o cozinheiro, que o rei não aceita quem se posicione contra ele. O rei quer flores, gritos de urra