21 de janeiro de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Amazonas vai transferir pacientes a outros estados e Renan Filho analisa pedido

Com o aumento súbito da demanda por oxigênio e baixa oferta nos hospitais em Manaus, AM está à beira de um colapso

Foto: Márcio Ferreira

À beira de um colapso na saúde, o estado do Amazonas vai transferir pacientes de covid-19 a outros estados, além de decretar toque de recolher a partir das 19h até as 6h. As medidas foram anunciadas nesta quinta pelo governador Wilson Lima (PSC) e têm como objetivo conter a disseminação do coronavírus no estado.

Com o aumento súbito da demanda por oxigênio e baixa oferta nos hospitais em Manaus, médicos que atuam no tratamento de pacientes com Covid-19 relatam que estão tendo que escolher quais paciente serão assistidos.

Profissionais que atuam no HUGV (Hospital Universitário Getúlio Vargas) relatam que a falta de oxigênio na unidade, que se agravou entre a madrugada e o início da manhã desta quinta-feira (14), resultou na morte de seis pacientes nas primeiras horas do dia.

Eles alertam que mais óbitos podem ocorrer ao longo do dia, uma vez que o estoque de oxigênio da unidade deve durar apenas mais algumas horas.

O primeiro a receber pacientes do Amazonas será Goiás, com dois hospitais: o HUGO (Hospital Estadual de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz) e o HGG (Hospital Estadual Geral de Goiânia Dr. Alberto Rassi). Depois, será a vez de Piauí, Maranhão, Paraíba e Rio Grande do Norte, além de, Brasília.

A data e a ordem dessas transferências ainda não foram divulgadas pelo governo amazonense.

Alagoas

O governador Renan Filho anunciou que o governo do Amazonas também ajuda a Alagoas para que fossem transferidos os pacientes graves de Covid-19 e que precisam de vagas em leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Renan Filho ainda analisa o pedido. Alagoas tem um total de 110.112 casos confirmados do novo coronavírus até o momento, dos quais 2.822 estão em isolamento domiciliar. Há 8.394 casos em investigação laboratorial e 2.593 óbitos confirmados por Covid-19.

Dos 697 leitos criados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) para atender, exclusivamente, pacientes com suspeita e confirmação de infecção pelo novo coronavírus, 320 estavam ocupados até última atualização, em 12/01, o que corresponde a 46% do total. Atualmente, 114 pacientes estão em leitos de UTI, 07 ocupando leitos intermediários e 199 em leitos de enfermaria.