20 de outubro de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Após fala nazista, Rodrigo Maia quer saída de Roberto Alvim da secretaria de Cultura

Com frase nazista, atitude nazista e música nazista, não há outra interpretação para o que o atual secretário de Cultura é e defende

Roberto Alvim, secretário de Cultura de Bolsonaro, participou ao lado do presidente em live na noite do discurso nazista

Nem mesmo Olavo de Carvalho consegue defender Roberto Alvim, secretário de Cultura de Jair Bolsonaro. O ideólogo astrólogo do presidente disse, em sua conta no Facebook, que no vídeo o secretário “talvez não esteja muito bem da cabeça”.

Ao lado de uma cruz, a bandeira do Brasil e abaixo da foto do presidente, Alvim fez um discurso com temática nazista, usando citações diretas de Joseph Goebbels, ministro da Propaganda de Hitler. E a música de fundo, durante todo o vídeo era da ópera “Lohengrin”, de Richard Wagner, obra reverenciada pelo líder alemão.

“A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada”. Roberto Alvim, secretário de cultura de Bolsonaro.

Alvim ainda teve coragem de negar, culpando a esquerda pela associação.

Maia quer demissão

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, também se pronunciou hoje, no Twitter. Maia quer o afastamento imediato de Alvim do cargo e classificou como “inaceitável” sua postura em vídeo publicado na noite de ontem, nas redes sociais.

O deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) disse, no Twitter, que o partido pedirá o indiciamento de Alvim pelo crime de apologia ao nazismo.

E com frase nazista, atitude nazista e música nazista, não há outra interpretação para o que Roberto Alvim é e defende. Logo, ele não pode durar muito à frente da cultura nacional.