20 de abril de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Bolsonaro se curva aos chineses e agradece pela “vachina” que antes não queria comprar

Ao longo de 2020, presidente atacou a Coronavac em mais de uma ocasião e disse que a vacina não transmitia confiança por sua origem

Sem palavras nem bússola moral, o presidente Jair Bolsonaro mudou suas ações e linha de pensamento. Novamente.

Desta vez, pressionado pelas vacinas que se esforçou em não oferecer aos brasileiros durante toda a pandemia, Bolsonaro corre contra o tempo (e sua ideologia) e já passa a agradecer o governo chinês pela nova remessa de insumos da Coronavac.

Após a Anvisa autorizar a vacina no Brasil, na semana passada, o presidente ficou sem tocar no assunto por quase dois dias. Isso pra depois dizer que “a vacina é do Brasil, não de um governador“.

Mas com a popularidade em queda, o presidente precisou se virar para que autoridades do país asiático autorizassem a exportação de 5.400 litros de insumos do imunizante da chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan e reverter seus índides de aprovação.

O lote de IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) liberado pela China deve ser suficiente para a fabricação de 8,5 milhões de doses da Coronavac, a mesma que Bolsonaro já chamou de “a vacina chinesa do Doria”. Claro, ele agora conta outra história:

Esse recado é completamente o oposto do que o presidente e sua ala ideológica vinham protagonizando, já que as declarações anteriores eram claramente ofensivas contra Pequim.

Seu ministro das Relações Exteriores, por exemplo, afirmou no ano passado que coronavírus é um plano comunista em um artigo com o título ‘Chegou o comunavírus’ e chegou a cortar relações com a China, que ficou sem resposta depois de oferecer crédito de US$ 1 bi pela vacina.

Ao longo de 2020, o presidente atacou a Coronavac em mais de uma ocasião e disse que a vacina não transmitia confiança por sua origem, garantindo que seu governo não a compraria. Chegou até mesmo dizer que o suicídio de um voluntário foi pra ele uma vitória contra Dória.

Leia mais: Bolsonaro conseguiu politizar pandemia e seguidores dizem que não vão se vacinar

Não por menos, após o anúncio de Bolsonaro nesta semana, João Doria, do PSDB, reagiu e afirmou que a liberação do envio do insumo não foi obra do governo federal.

Bolsonaro, Doria e Coronavac em manchetes

Thaís Herédia, comentarista na CNN Brasil, fez um balanço rápido sobre manchetes, desde 11 de junho deste ano, sobre a Coronavac, vacina contra a covid-19 do Instituto Butantan de São Paulo. Desde sua incepção até o momento em que o Ministério da Saúde pediu a entrega de todas os 6 milhões de doses existentes.

Claro, há muita contradição vinda do governo Jair Bolsonaro. Confira:

  • 11/06 – Dória anuncia acordo com Sinovac.
  • 12/06 – Sergio Camargo, da Fund. Palmares e bolsonaristas fazem apelo para ninguém tomar “vacina chinesa do Dória”
  • 20/10 -Ministério da Saúde anuncia “intenção” de compra de 46 milhões de doses da Coronavac.
  • 21/10 “Não será comprada”, cancela Bolsonaro.
  • 22/10 “É simples assim, um manda e o outro obedece”, Pazuello.
  • 26/10 “Não é + barato investir na cura do q na vacina?”, Bolsonaro.
  • 10/11 “Morte, invalidez, anomalia. É a vacina q o Dória queria obrigar os paulistanos. Mais uma que Jair Bolsonaro ganha”, Bolsonaro sobre suspensão da Coronavac pela morte de 1 voluntário q havia se suicidado.
  • 07/12 –Dória anuncia início da vacinação em SP p/ 25/01, ainda s/ aprovação da Anvisa.
  • 08/12 “Se houver demanda e preço vamos comprar a vacina do Butantan”, Pazuello
  • 08/12″Qualquer vacina aprovada e certificada pela Anvisa será comprada e distribuída p/ td população”, Pazuello
  • 08/12 Primeira pessoa vacinada no Reino Unido com vacina da Pfizer.
  • 15/12 “Eu não vou tomar vacina. Se alguém acha q a minha vida está em risco, o problema é meu”, Bolsonaro.
  • 15/12 “É mais barato investir na vacina do q estender auxílio emergencial”, Roberto C Netto/BC
  • 16/12 “Para que essa ansiedade, essa angústia?”, Pazuello sobre plano de vacinação.
  • 17/12 STF decide que vacinação pode ser compulsória nos estados.
  • 17/12 “Se você tomar vacina e virar jacaré, é problema seu”, Bolsonaro.
  • 28/12 – “O Brasil tem 210 milhões de habitantes, um mercado enorme. Os laboratórios não tinham q estar interessados em vender para a gente?”, Bolsonaro.
  • 07/01 – Butantan anuncia eficácia de 78% da Coronavac.
  • 07/01 – Cientistas contestam informações do Butantan.
  • 07/01 “Em média, estaríamos entre o dia 20 de janeiro e 10 de fevereiro. A hipótese mais alongada é final de fevereiro, meados de março”, Pazuello sobre início vacinação.
  • 11/01 “Vacinação vai começar no dia D, na hora H”, Pazuello.
  • 12/01 – Butantan corrige e anuncia eficácia global de 50,38% da Coronavac.
  • 12/01 – Cientistas lamentam erro na comunicação mas atestam segurança da vacina.
  • 13/01 “Essa de 50% é uma boa? O q eu apanhei por causa disso, agora estão vendo a verdade”, Bolsonaro.
  • 15/01 Avião p/ buscar vacinas da Oxford não decola porque governo indiano não confirma a entrega.
  • 15/01 “Não tenho ideia”, Bolsonaro sobre vacina q estaria sendo produzida pelo Min Marcos Pontes.
  • 15/01 Ministério da Saúde exige entrega imediata de 6 mi de vacinas da Coronavac.