26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Policia

Casal “alugava” a filha de 12 anos para ser abusada sexualmente em União dos Palmares

Polícia prendeu ainda outro casal, em Olho D’Água do Casado, também em Alagoas, que usava a casa como prostíbulo e explorava as próprias filhas de 15 e 9 anos

Uma menina de apenas 12 anos foi explorada pelos pais, que a “alugaram” para ser abusada sexualmente por um comerciante, União dos Palmares, interior de Alagoas.

Segundo o Conselho Tutelar municipal, a irmã da menina, de 11 anos, chegou a participar dos encontros que tinham o consentimento dos pais, em troca de doações de alimentos e benefícios financeiros.

O Conselho Tutelar de União dos Palmares recebeu a denúncia de que uma criança de 11 anos e duas adolescentes, sendo uma de 12 e outra de 14 anos, foram vítimas de abusos sexuais no município. A menina de 12 anos seria explorada pelos próprios pais, consentindo as relações sexuais em troca de doações de alimentos e benefícios financeiros. O caso deve ser investigado pela Polícia Civil de Alagoas (PC-AL).

Os crimes aconteciam dentro de um motel e o suposto estuprador teria pago R$ 50 para as meninas e R$ 150 para os pais em forma de “ajuda”, já que seria conhecido da família por ser comerciante.

O caso vai ser encaminhado ainda hoje para o Ministério Público do Estado de Alagoas (MPAL) e para a Polícia Civil de Alagoas (PC-AL).

Prostíbulo de menores em Olho D’Água do Casado

Também em Alagoas, mas no município de Olho D’Água do Casado, a polícia prendeu outro casal suspeito de explorar sexualmente duas filhas em troca de dinheiro.

As meninas, de 15 e 9 anos, eram abusadas na residência da própria família, na zona rural do Sertão de Alagoas. No local as garotas viviam com os pais e mais cinco irmãos, no que era praticamente um prostíbulo. Dois homens, suspeitos de abusar as meninas, também foram presos.

Um dos irmãos das garotas, um menino de 13 anos, prestou depoimento dizendo que precisou “tirar um homem” de cima da irmã de 9 anos. O homens iam à residência para noites de bebedeira e sexo com as garotas. Um terceiro suspeito de abusar das irmãs ainda é procurado pela Polícia Civil.