20 de novembro de 2020Informação, independência e credibilidade
Blog

Ei, Morgan Freeman, vai…

Aquele vídeo e o card do ator estadunidense Morgan Freeman defendendo a “consciência humana” está para o Dia da Consciência Negra assim como aquela versão da música de John Lennon na voz de Simone está para o Natal.

Sempre tem um tiozão ou tiazona retardados ou jovens alienados compartilhando essas mazelas nessas épocas específicas, como se ser um racista velado fosse a coisa mais linda do mundo.

Desde que os negros foram libertados da escravidão nas fazendas e jogados na prisão da pobreza e do abandono, os números não nos deixam mentir. Este país é injusto e desigual. Mesmo assim, há quem grite contra as reparações históricas.

Por exemplo, 71 das pessoas que perderam o emprego nessa pandemia são negras, segundo estudo do Dieese. Se formos analisar os outros índices sociais e econômicos por raça, vamos nos alongar muito e perderia o foco deste artigo.

Ainda assim, Freeman, um homem privilegiado por ser famoso e ter grana no país mais rico do mundo, acha que acabaremos com o racismo “não falando sobre isso”. Que ridículo!

Muitos americanos são bravos. Não deixam passar despercebidos casos horripilantes como o de George Floyd, homem negro morto por asfixia por um policial, que não se intimidou nem com o fato de estar sendo filmado com o joelho esmagando a garganta de Floyd. É um supremacista tosco!

Nessa quinta-feira, 19, um homem negro foi morto a socos no Carrefour de Porto Alegre. Vou repetir: espancado até a morte por dois seguranças brancos, num ataque covarde. O caso foi registrado na mesma rede de supermercados onde um segurança matou um cachorro e onde um funcionário morreu infartado, mas, como as caixas registradoras não podem parar de tinir, seu corpo ficou no meio de uma das sessões, coberto com guarda-sóis e isolado por paredes improvisadas de papelão.

Se Morgan Freeman e seus entusiastas acham que devemos silenciar sobre tudo isso, lamento.

O Dia da Consciência Negra é necessário, e muito, para quem ainda acredita que devemos combater esse câncer e que isso somente acontece quando tomarmos consciência de que injustiças devem ser enfrentadas.

E não deixadas para lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.