29 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Justiça proíbe bloqueio de estradas e greve de caminhoneiros deve ter baixa adesão

Nas primeiras horas do dia, evento conta apenas com placas e não há retenção nas estradas

foto: Leitor Metro1

O Ministério da Infraestrutura informou na manhã desta segunda-feira (1º), data do que seria o primeiro dia da greve dos caminhoneiros, que “não há registro de nenhuma ocorrência de bloqueio parcial ou total em rodovias federais ou pontos logísticos estratégicos” por parte do movimento dos caminhoneiros autônomos.

O boletim foi divulgado pela pasta às 6h, logo após decisão da Justiça que proibiu o bloqueio de estradas por parte da categoria em protestos previstos para hoje, motivados pelo descontentamento com os aumentos dos combustíveis e com as propostas do governo para o setor.

Em Alagoas, por exemplo, por decisão do juiz federal André Carvalho Monteiro, que responde pelo plantão da Justiça Federal no estado, o protesto de caminhoneiros não poderá interromper o tráfego de veículos e de pessoas nas rodovias que cortam o Estado de Alagoas.

Além disso, s tentativas de bloqueio estão sendo dispersadas pela Polícia Rodoviária Federal. Uma dessas aglomerações aconteceu no Porto de Capuaba (ES). O ministério diz que as operações estão normais no Porto de Santos (SP). Existem ao menos 29 liminares na Justiça contra bloqueio de rodovias, refinarias e portos contemplando 20 estados.

Greve

Entidades de representação dos caminhoneiros mantiveram neste domingo (31) o chamado para a greve marcada para esta segunda-feira. A principal queixa é contra o aumento do diesel, que já subiu mais de 34% nos últimos 12 meses, segundo o IPCA-15.

Por isso, os caminhoneiros pedem o fim da política de preços da Petrobras, que reajusta o valor dos combustíveis de acordo com o custo do petróleo no mercado internacional e com o dólar.