19 de abril de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Novo presidente da Comissão de Relações Exteriores dos EUA vai pressionar ‘Bolsonaros do mundo’

Democrata Gregory Meeks, primeiro afro-americano a presidir a Comissão, já mira a promoção de direitos humanos no Brasil

O novo presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes dos EUA, Gregory Meeks, pediu nesta terça (5) a revisão da política de Washington para a Venezuela, um enfoque mais multilateral do país sob o comando de Joe Biden e prometeu promover os direitos humanos no Brasil.

Em entrevista à agência de notícias AFP, o democrata diz querer discutir com o presidente Jair Bolsonaro a marginalização das comunidades afro-brasileiras, indígenas e LGBT e buscar se unir a legisladores e ONGs brasileiras neste tema.

“Há um papel que todos devem desempenhar, e se podemos estar de acordo e começar a falar e exercer a mesma pressão sobre os Bolsonaros do mundo, acho que podemos ter um grande impacto”. Gregory Meeks.

A política de direitos humanos defendida por Meeks é marcada pela divergência com a administração Trump, de quem o presidente brasileiro é próximo ideologicamente.

Gregory Meeks, o novo presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes dos EUA

Ele também disse que buscaria retomar a ajuda humanitária aos palestinos, depois que Trump, pró-Israel, cortou quase todos os fundos. E prometeu usar seu cargo para pressionar o respeito aos direitos humanos em todo o mundo.

Primeiro afro-americano a presidir a Comissão de Relações Exteriores da Câmara, Meeks sucede Eliot Engel, que perdeu o assento nas primárias para um integrante da ala progressista democrata.

Venezuela

Meeks acusou Trump de hipocrisia ao liderar uma campanha de dois anos para tirar do poder Nicolás Maduro, cuja reeleição, em 2018, Washington e boa parte da comunidade internacional não reconhecem por considerá-la “fraudulenta”.

“Claramente, esta administração não está no caminho certo. De fato, acho que muitas pessoas na Venezuela estão rindo porque, para mim, o que Trump está fazendo nesta eleição é muito similar ao que Maduro tentou fazer na Venezuela. Precisamos de uma política diferente.” . Gregory Meeks