29 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Policia

Operação em AL e RN apreende drogas, armas e prende ao menos 10 pessoas

Denominada Marmota, operação cumpre 15 mandados de prisão e 14 de busca e apreensão em Maceió, Olho D’água das Flores e em Natal

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) coordenou, nesta terça-feira (23), uma operação integrada entre as Polícias Civil e Militar com o objetivo de prender integrantes de uma organização criminosa.

A operação foi denominada de Marmota e cumpre 15 mandados de prisão e 14 de busca e apreensão em Maceió, Olho D’água das Flores e em Natal, capital do Rio Grande do Norte.

Nas primeiras horas da manhã, foram presos 10 suspeitos, além da apreensão de uma quantidade significativa decocaína, tabletes de maconha, além de dinheiro, celulares e outros equipamentos.

Durante o cumprimento dos mandados de prisão em Olho D’Água das Flores, um dos alvos recebeu as equipes policiais a tiros. Ele acabou baleado e foi socorrido a uma unidade hospitalar, porém não resistiu e veio a óbito.

Este indivíduo possuía uma extensa ficha criminal, com passagens por tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, homicídio qualificado e outros crimes.

Este alvo da operação possui participação também na morte do radialista conhecido como Jota Ferreira, que foi morto a tiros em Olho D’ Água das Flores em 2017.

A operação, fruto de um trabalho investigativo realizado pela SSP, pela Divisão Especial de Investigação e Capturas (DEIC) e pelo 7º Batalhão da Polícia Militar, é comandada pelo delegado Gustavo Xavier, diretor da DEIC, e pelo comandante do 7° BPM, tenente-coronel Gouveia.

Os mandados foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital com base em provas técnicas que comprovam a participação dos alvos em crimes como tráfico de drogas, posse e porte legal de arma de fogo e homicídios. As equipes policiais cumpriram mandados em Maceió, no bairro do Benedito Bentes, em Olho D’água das Flores e em Natal (RN).

O líder da organização criminosa reside em Natal, local de onde ele também comandava as ações do grupo em Alagoas. A operação ganhou o nome de Marmota em analogia ao roedor, que tem como hábitos cavar buracos e hibernar por até nove meses.

A organização criminosa tem ligação com uma conhecida facção criminosa nacional e, assim como as marmotas, cavava buracos em terrenos próximos dos pontos de comércio das drogas para esconder os entorpecentes e, desta forma, tentar despistar as forças de segurança.

Até o momento, nove pessoas foram presas, incluindo o líder da organização criminosa, que estava em Natal. Também foram apreendidas uma espingarda, uma pistola .40 e um revólver calibre 32.

Efetivo participante

Para o cumprimento dos mandados, foram empregados policiais militares dos 7º, 9º e 10º Batalhão, da Companhia de Operações Especiais do Sertão (COPES), Batalhão de Policiamento Rodoviário (BPRV), além do Canil do 3º Batalhão.

A Polícia Civil participou com agentes da 2ª Delegacia Regional de Polícia, comandados pelo delegado regional Hugo Leonardo, além de policiais da DEIC e da Asfixia. O Grupamento Aéreo da SSP também participou da operação.

No Rio Grande do Norte, a Operação Marmota contou com a colaboração do delegado Erick Gomes e de agentes da Divisão Especializada em Investigações e Combate ao Crime Organizado (DEICOR/RN).

A população é grande parceira das forças de segurança no combate ao crime em Alagoas e pode contribuir com o trabalho das polícias realizando denúncias sobre homicídios, tráfico de drogas, roubos, organizações criminosas e outros crimes por meio do Disque Denúncia. As informações podem ser repassadas, de forma anônima e gratuita, por meio de ligações para o 181.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.