25 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Orçamento secreto administrado por Lira garantiu quase R$ 500 milhões para Alagoas

Só a cidade de Arapiraca recebeu quase R$ 70 milhões

Arthur Lira no comando do orçamento secreto para os aliados do governo

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o Estado de Alagoas pulou de R$ 285 milhões em 2020 para R$ 449 milhões em 2021, graças ao Orçamento Secreto, que o Centrão domina no governo de Jair Bolsonaro.

Os recursos destinados aos municípios alagoanos cresceram após a eleição do deputado federal Arthur Lira (PP) para a Câmara dos Deputados.

O mecanismo do orçamento secreto  é questionado pela falta de transparência: não há uma base de dados pública com a lista de deputados e senadores que indicaram o destino das emendas nesta modalidade. Isto é, os parlamentares aliados do governo têm a disposição mais de  R$ 16,8 bilhões e usam dinheiro sem a devida prestação de contas.

Arapiraca, o reduto cobiçado

Diz a Folha que Arapiraca é atualmente o destino mais cobiçado para os recursos do orçamento secreto. Segundo maior colégio eleitoral de Alagoas, a cidade deu um salto como destino para o aporte desses recursos entre 2020 e 2021. Em 2020, a prefeitura recebeu R$ 1,9 milhão neste tipo de emenda, número agora saltou para R$ 69,9 milhões até novembro de 2021.

De um ano para o outro, mudou o ocupante da cadeira de prefeito da cidade e a importância do papel que este terá na sucessão em Alagoas em 2022.

No comando da cidade desde janeiro de 2021, Luciano Barbosa (MDB) se tornou uma espécie de noiva cortejada pelos dois principais clãs políticos do estado liderados pelo senador Renan Calheiros (MDB) e pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP).

Vice-governador de Alagoas na chapa liderada pelo governador Renan Filho em 2014 e 2018, Barbosa surpreendeu o meio político alagoano em 2020 ao romper com o governador e renunciar ao cargo para concorrer à Prefeitura de Arapiraca —cidade onde já havia sido prefeito de 2005 e 2012.

Eleito para o comando da maior cidade do interior de Alagoas, com cerca de 215 mil habitantes, virou peça-chave da sucessão de 2022.

Com o cacife político em alta, Barbosa se reaproximou do governador Renan Filho ao longo de 2021 e, ao mesmo tempo, estreitou pontes com um antigo adversário local —o deputado federal Arthur Lira.

A aproximação não foi por acaso. Desde que assumiu o comando da Câmara dos Deputados, Lira tornou-se homem-forte na definição do destino das chamadas emendas do relator, dispositivo usado pelo governo Jair Bolsonaro (PL) e seus aliados para privilegiar aliados políticos e ampliar a base de apoio.