28 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Polêmica do auxílio-moradia: Filho de Bolsonaro ficará com apartamento que seria vendido

Questionado se usou o dinheiro do benefício para comprar seu apartamento, ele respondeu que “usava pra comer gente”

Há um ano, a Folha noticiou que o hoje presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ) e um de seus filhos, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), recebiam dos cofres públicos R$ 6.167 por mês de auxílio-moradia, mesmo tendo um imóvel em Brasília, como deputados federais.

O apartamento de dois quartos (69 m²), em nome de Jair, foi comprado no fim dos anos 90, quando ele já recebia o benefício público. Questionado se usou o dinheiro do benefício para comprar seu apartamento, ele respondeu: “Como eu estava solteiro naquela época, esse dinheiro de auxílio moradia eu usava pra comer gente”.

Agora, o apartamento que esteve no centro de uma polêmica no início do ano passado passará a ser ocupado a partir deste mês pelo estudante Jair Renan, 20, o segundo filho mais novo do atual presidente da República.

O garoto é Youtuber e tem colecionado fãs transmitindo ao vivo partidas de League of Legends (LoL), um dos jogos mais populares do mundo, cujas partidas chegam a demorar cinco horas, e adotou o apelido de “Bolsokid”.

À época, dois meses depois, Bolsonaro havia deixado o imóvel e se mudado para um apartamento funcional da Câmara, de aproximadamente 200 m², também em Brasília.

Diante da repercussão negativa do episódio, Bolsonaro prometeu que venderia o imóvel. Ganhou até uns votos (ou clamores de mitada) quando anunciou a venda até mesmo no Jornal Nacional, em agosto do ano passado.

Aparentemente, foi mais uma falácia jogada ao vendo. Baixada a poeira, deu que Jair Renan vai se mudar de Resende, no interior do Rio de Janeiro, onde mora com a mãe, Ana Cristina Valle, para a capital federal nas próximas semanas. O apartamento está registrado pelo presidente no valor de aproximadamente R$ 240 mil e já foi chamado por ele de “cubículo”, apesar dos 69 m² e dois quartos.