11 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Maceió

Sete animais tiveram acolhimento responsável na Feira de Adoção da Prefeitura de Maceió

Estimular a adoção responsável tem sido uma das frentes de trabalho do Gabinete da Causa Animal

Sete animais tiveram acolhimento responsável na Feira de Adoção da Prefeitura de Maceió
A cada adoção os tutores recebem as orientações sobre os cuidados com os pets. Foto: GGI-CA

Neste domingo (17), ocorreu na Rua Aberta, da orla de Ponta Verde, mais uma edição da Feira de Adoção da Prefeitura de Maceió. Na ocasião, sete animais foram adotados, sendo três gatos e quatro cães.

No local, também foram aplicadas doses de vacina antirrábica nos cães e gatos levados à feira pelos tutores. A iniciativa é coordenada pelo Gabinete de Gestão Integrada de Políticas Públicas para Causa Animal (GGI-CA), em parceria com a Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ).

A coordenadora do GGI-CA, Fernanda Rodrigues, falou sobre a importância das adoções realizadas durante o período de inverno, onde mais animais encontram-se em situação de vulnerabilidade.

“O Gabinete da Causa Animal em parceria com a UVZ tem trabalhado para realizar as feiras todos os finais de semana, ao assegurar sete adoções responsáveis são animais que saem das ruas e passam a ser acolhidos por famílias, que vão cuidar da saúde e bem-estar. Principalmente no período de chuvas, ter a população realizando as adoções desses animais é bastante significativo. Por isso, convidamos toda comunidade a participar das feiras”.

Josefa dos Santos, estava passeando pela orla e viu a estrutura da feira, ao visitar fez a adoção de dois animais.

“Adotei dois cães, Jove e  Juma, vão ser muito bem cuidados na minha família. Gostei demais do atendimento na feira, a equipe da Prefeitura está de parabéns. Que mais pessoas possam acolher os animais para poder diminuir o número de cães e gatos nas ruas. Torço para que todos consigam achar um lar”.

Cuidados

Os animais adultos que são adotados passam por procedimentos de castração, vacinação, vermifugação, além da testagem para leishmaniose. Os filhotes passam por prévia avaliação médico-veterinária e as pessoas que adotam recebem orientações sobre quando poderão levá-los à Unidade de Vigilância em Zoonoses para receber a vacinação antirrábica e realizar a castração. O animal adotado recebe um chip de identificação que permite identificar o responsável em caso de abandono.