25 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Justiça

STF proíbe Damares de abrir canal de denúncias para reclamar de comprovante de vacinação

Lewandowski pediu ainda que o governo Bolsonaro pare de atuar sem embasamento técnico-científico, e incentive a vacinação contra covid-19

O ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou hoje que o MMFDH (Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) pare de disponibilizar o canal de denúncias Disque 100 para receber reclamações contra o comprovante de vacinação.

A determinação foi em resposta a um pedido da Rede Sustentabilidade. O magistrado ainda pede que o governo Jair Bolsonaro (PL) pare de atuar sem embasamento técnico-científico, e incentive a vacinação contra covid-19.

“Penso que cabe ao Governo Federal, além de disponibilizar os imunizantes e incentivar a vacinação em massa, evitar a adoção de atos, sem embasamento técnico-científico ou destoantes do ordenamento jurídico nacional, que tenham o condão de desestimular a vacinação de adultos e crianças contra a covid-19”. Ricardo Lewandowski.

Em nota, o MMFDH informou que não foi oficialmente intimado e que desde que foi criado, o Disque 100 recebeu todas as denúncias de alegadas violações de direitos humanos, sejam elas quais forem, bastando a informação do cidadão de que seus direitos foram desrespeitados.

Em nota técnica divulgada pelo ministério de Damares Alves em janeiro, é citada suposta violação de direitos.

“Para todo cidadão que por ventura se encontrar em situação de violação de direitos, por qualquer motivo, bem como por conta de atos normativos ou outras medidas de autoridades e gestores públicos, ou, ainda, por discriminação em estabelecimentos particulares, está disponível o canal de denúncias, que pode ser acessado por meio do Disque 100.”

Lewandowski quer que a pasta comandada por Damares retifique as notas técnicas ressaltando que a vacinação compulsória não significa vacinação ‘forçada’. “Dando ampla publicidade à retificação ora imposta.”

“É praticamente unânime a opinião dos epidemiologistas e educadores de que a vacinação a população em geral, particularmente das crianças e adolescentes é essencial para a retomada segura das atividades escolares”. Ricardo Lewandowski.