28 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Complexo Nutricional é inaugurado em Santana do Ipanema

Com a ordem de serviço assinada em janeiro de 2021, o projeto recebeu aporte financeiro do Estado para a construção do prédio

Complexo Nutricional vai garantir 800 litros de refeições diárias gratuitas a 400 pessoas em situação de vulnerabilidade social. Foto: Filipe Vieira

A segurança alimentar de Alagoas recebeu mais um reforço de peso na manhã desta sexta-feira (22). O Complexo Nutricional Dr. Isnaldo Bulhões Barros foi inaugurado em Santana do Ipanema com a finalidade de garantir 800 litros de refeições diárias gratuitas a 400 pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Por meio da ordem de serviço assinada em janeiro de 2021, o projeto recebeu, para a construção do prédio, o aporte financeiro do Estado no valor de R$ 332.195,50 (trezentos e trinta e dois mil, cento e noventa e cinco reais e cinquenta centavos) por meio do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Fecoep).

A gestão dos projetos de complexos nutricionais em Alagoas está a encargo da Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social (Seades). As prefeituras, por sua vez, são responsáveis por manter o equipamento e custear os serviços e insumos.

Paulo Ferreira Netto, titular da pasta de Assistência e Desenvolvimento Social, falou da relevância de mais um equipamento deste porte no estado.

“Estamos aqui, em Santana do Ipanema, comemorando os 147 anos de Emancipação Política, entregando um importante equipamento nutricional e alimentar, voltado à população mais vulnerável do nosso estado. Em pouco mais de um ano, após assinatura da ordem de serviço, o complexo já entrará em funcionamento, oferecendo em torno de 800 litros de refeição a 400 famílias dos bairros mais carentes do município. Será fornecida alimentação diária, com qualidade nutricional em quantidade suficiente. O Estado de Alagoas investiu mais de R$ 330 mil na construção do complexo. Houve um aporte financeiro da prefeitura de Santana do Ipanema, em que foram destinados mais de R$ 560 mil, juntando aporte do estado com o do município”.

O município entrou com a contrapartida financeira para a compra de maquinários de cozinha industrial e contratação de pessoal. O evento, que faz parte dos 147 anos de Emancipação Política de Santana do Ipanema, entrega à população o equipamento construído em região de bairros vulneráveis para atender a famílias em condição de extrema pobreza.

A prefeita de Santana do Ipanema, Christiane Bulhões, destacou a importância da parceira com o Estado.

 “Entregamos hoje o Complexo Nutricional Dr. Isnaldo Bulhões Barros que vai servir alimento com todo o cuidado no preparo nutricional para 400 famílias cadastradas aqui em Santana do Ipanema. É momento de muita alegria, junto com a parceria da Seades, que sempre apoiou, orientou e apresentou o projeto ao Dr. Isnaldo Bulhões, na época prefeito, poder ofertar uma alimentação segura e saudável à população”.

Além do Secretário de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social, Paulo Ferreira Netto, do secretário-executivo da Seades, Elizeu Rêgo, e dos superintendes do órgão, estiveram presentes no evento a prefeita Cristiane Bulhões, secretários municipais e estaduais, e autoridades regionais. Prestigiaram o evento o ex-governador de Alagoas Renan Filho e o deputado estadual Paulo Dantas.

Segurança Alimentar em Alagoas

Afora o Complexo Nutricional de Santana do Ipanema, Alagoas já conta com o equipamento de segurança alimentar em funcionamento na cidade de Pilar, outro em Batalha em fase de inauguração e mais seis com recurso já aprovado. Sete outros municípios alagoanos estão com financiamento em processo de homologação no Fecoep.

Desde 23 de março deste ano, a equipe técnica da Seades, junto ao conselho do Fecoep, definiu que o recurso do estado, destinado à implantação de Complexos Nutricionais, ganharia novo objetivo: poderá agora ser usado, a critério dos municípios, para a edificação do prédio ou a instalação de maquinários e utensílios de cozinha industrial.

A nova possibilidade de utilização do recurso torna viável a destinação de prédios municipais desocupados ou de cozinhas em funcionamento, mas com material defasado, para a instalação do equipamento e compra de maquinários modernos por parte das cidades alagoanas.