27 de outubro de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Hang é convocado pela CPI e deve depor na quarta-feira

Declaração de óbito da mãe do dono da Havan foi adulterada para ocultar morte por Covid-19

A CPI da Covid aprovou hoje requerimento de convocação do empresário Luciano Hang, dono da varejista Havan. O empreendedor é apoiador declarado do presidente Jair Bolsonaro e defensor contumaz das pautas e interesses do chefe do governo federal.

Segundo o presidente do colegiado, senador Omar Aziz (PSD-AM), a oitiva será realizada na próxima quarta-feira (29), às 10h.

Os congressistas também aprovaram a convocação da advogada Bruna Morato, que atua em favor de médicos e ex-médicos da operadora de saúde Prevent Senior.

Os profissionais entregaram à CPI um dossiê com denúncias. De acordo com o documento, a empresa utilizou, sem consentimento, seus pacientes para realizar um suposto estudo com o intuito de fundamentar o uso do chamado “kit covid” (medicamentos sem eficácia no tratamento da doença).

Morte da mãe

Ontem (23), Hang foi mencionado por diversas vezes durante o depoimento à CPI do diretor da operadora de saúde Prevent Senior, Pedro Batista Júnior. Isso porque, após ser contaminada pela covid, a mãe do empresário foi hospitalizada em uma unidade da rede, em São Paulo. Ela acabou morrendo em virtude de complicações da doença.

Também ontem, reportagem do jornal O Estado de S. Paulo afirmou que 15 médicos que dizem ter trabalhado para a Prevent Senior entregaram um dossiê à comissão do Senado, apontando que a declaração de óbito da mãe de Hang, Regina Modesti Hang, foi fraudada.

Após a repercussão, Hang disse ter “total confiança nos procedimentos adotados pela Prevent Senior” e afirmou que nunca ocultou o motivo da morte da mãe e que o episódio está sendo usado como “artifício político” pela CPI da Covid.

Regina morreu aos 82 anos em fevereiro de 2021 após ser internada com covid-19, mas o prontuário médico dizia que a morte foi em decorrência de uma pneumonia bacteriana, de acordo com o Estadão. Na nota divulgada hoje, após a repercussão do caso, Hang afirma que a “covid passou, mas ficaram as complicações por conta das comorbidades e, por isso, infelizmente ela se foi”.