11 de agosto de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Huck e Doria aderem a manifesto pela democracia

Apresentador da Globo sugere meta de 1 milhão de assinaturas

O apresentador Luciano Huck, que cogitou ser candidato à presidência nas eleições desse ano, assinou o manifesto “Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado democrático de Direito” e diz que está “disposto a incentivar” para que mais pessoas apoiem o movimento.

O ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB), eleito em 2018 colado na figura do atual presidente e se chamando de “Bolsodoaria”, também assinou a carta, que reúne empresários, banqueiros, artistas e ex-ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

Leia mais: Site de carta pela democracia sofre milhares de ataques hackers

Entre os signatários estão o economista e ex-presidente do Banco Central Arminio Fraga, o ex-presidente do Itaú Candido Botelho Bracher, o ex-presidente do Conselho de Administração do BB José Guimarães Monforte e o ex-presidente do Credit Suisse no Brasil José Olympio Pereira.

O texto já passa de 650 mil apoiadores. “A ideia é atingir 1 milhão de assinaturas o quanto antes. Todos em defesa da democracia”, diz o apresentador da Rede Globo.

Leia mais: Bolsonaro sente ‘carta em defesa da democracia’ e faz “manifestinho” no Twitter

Organizado por ex-alunos do curso de direito da USP, o manifesto é uma iniciativa suprapartidária que não menciona o nome de Jair Bolsonaro (PL) —embora seja considerado uma resposta às ameaças golpistas do presidente. A carta será lida em evento na Faculdade de Direito da USP, em São Paulo, no dia 11 de agosto.

Leia mais: Presidenciáveis defendem a carta pela democracia, mas Bolsonaro diz que só favorece Lula

O texto foi concebido com expressões moderadas para atrair o maior número possível de signatários, evitando termos que soassem radicais, divisivos, pró-PT, anti-Bolsonaro ou de qualquer forma partidário.