4 de dezembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Kataguiri faz discurso tardio contra Bolsonaro, “corruptos, vagabundos e quadrilheiros”

Criador do Movimento Brasil Livre, um dos que ajudou no impeachment de Dilma, deputado lançou candidatura de protesto no dia em que Lira foi eleito

O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), último a discursar na eleição da presidência da Câmara, afirmou que disputa a presidência da Casa em forma de protesto com pauta única: a defesa do impeachment do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Kataguiri destacou que, quando concorreu à presidência da Câmara na legislatura passada, Jair Bolsonaro criticou a atuação do Poder Executivo na época, mas agora, como presidente, faz o mesmo.

“O Executivo sempre interfere [na eleição para a Mesa Diretora], mas não podemos ter uma Câmara que não cria leis, que não representa os anseios do povo, que é submissa ao Judiciário”. Kim Kataguiri.

Segundo Kim Kataguiri, o governo ofereceu a aliados cargos em órgãos públicos que administram R$ 110 bilhões em recursos. Conforme o deputado, no governo do ex-presidente Michel Temer foram atendidas várias emendas parlamentares. “Temer enfrentou duas denúncias de impeachment, mas não pagou tantas emendas como Bolsonaro”, disse.

“Prometeu acabar com a mamata, com o toma-lá-dá-cá. Mas dobrou os gastos com cartão corporativo, sugeriu a extinção do Coaf [Conselho de Controle de Atividades Financeiras] para proteger a si mesmo e à família. Não tem privatizações, não tem reformas. Era contra a reeleição, agora já pensa em 2022. Nos poucos projetos que apresentou, não fez nada para que fossem aprovados, isentou-se da responsabilidade”. Kim Kataguiri.

No total, 285 parlamentares puderam indicar o destino de R$ 3 bilhões para seus redutos eleitorais. Todas as autorizações e repasses da planilha foram feitos em dezembro, mês em que o governo intensificou as articulações para eleger seus candidatos.

MBL

Um dos fundadores do Movimento Brasil Livre (MBL) e um dos responsáveis por articular manifestações pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), Kim Kataguiri (diz ver motivos mais graves para a deposição de Jair Bolsonaro que aqueles que levaram à queda de Dilma, em 2016.

Segundo o deputado, a atual situação é mais grave porque é uma coisa que envolve diretamente a vida de dezenas de milhares de brasileiros, enquanto o que embasou o impeachment de Dilma foram foram questões ligadas a pedaladas fiscais, à compra da refinaria de Pasadena e o esquema de corrupção na Petrobras.