19 de outubro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Paulão diz que privatização dos Correios é injusta para trabalhadores e cidadania brasileira

Deputado diz que governo Bolsonaro atende apenas aos interesses de empresas multinacionais

Privatização dos Correios: Câmara faz debates finais para privatizar a empresa

A privatização dos Correios é desserviço inquestionável a população brasileira, segundo disse o deputado federal Paulão (PT-AL), uma vez que essa empresa chega a todos os municípios do País com um serviço de qualidade.

Disse o deputado que os Correios não causam prejuízo e que se trata de uma empresa das mais antigas do Brasil, que foi colocada “na bacia das almas pelo desgoverno Bolsonaro”.

Paulão destacou que os Correios, além de mensagens e produtos entregues por todos os cantos do País entrega também o direito à cidadania do cidadão mais simples, da população mais humilde de cada município brasileiro.

Para ele, o governo deveria tratar os Correios como uma instituição de Estado e exatamente por isso deveria tratar com dignidade os seus trabalhadores, “o que não o faz, absolutamente”.

“É preciso que se diga que os Correios, além de tudo que realiza como empresa postal, também atua como banco, entrega vacinas, realiza ENEM, exporta e importa, emite documentos e realiza sonhos dos cidadãos brasileiros nas regiões mais remotas. Por isso não posso concordar com essa privatização criminosa. Sou contra essa injustiça e o meu partido também”, disse Paulão.

Paulão: Governo pratica uma injustiça contra os trabalhadores e a cidadania brasileira

Ele assinalou que muitos desses serviços não geram lucros, mas que a empresa em si é verdadeiramente lucrativa. Na visão dele, o governo está apenas interessado em entregar os Correios as empresas Marketplace, principalmente a Amazon, com quem já faz parceria.

“O resultado disso é que além de desempregar os trabalhadores, a privatização vai gerar lucro para empresas estrangeiras que investem no mercado de capital, onde apenas elas multiplicam seus dividendos. Vamos fazer a resistência na Câmara contra essa privatização injusta para os trabalhadores e a cidadania brasileira”, concluiu. Paulão.