27 de novembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Brasil investiga 2 casos suspeitos em humanos de mal da vaca louca

Exportação de carne bovina do Brasil despenca 43% com embargo da China

A Secretaria Municipal do Rio de Janeiro recebeu do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, da Fiocruz, a notificação de dois casos suspeitos de doença priônica, que estaria associada ao consumo de carne bovina contaminada por Encefalite Espongiforme Bovina, também conhecida como doença da vaca louca.

A secretaria disse hoje que os casos investigados são dos municípios de Belford Roxo e Duque de Caxias. Mais cedo, a Reuters informou o caso com base em duas fontes com conhecimento do assunto.

“As notificações foram encaminhadas à Secretaria Estadual de Saúde para desenvolvimento de ações junto às secretarias dos municípios de residência”. Secretaria municipal de saúde.

Embargo

Movimentando 109 mil toneladas em outubro, as exportações de carne bovina, frescas e processadas geraram uma receita de US$ 541,6 milhões para o Brasil, segundo a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo).

No entanto, se comparado com o ano passado, houve uma queda de 43% no volume e 31% na receita. A causa da queda foi o embargo à carne brasileira, imposto pela China, após a ocorrência de dois casos de Mal da Vaca Louca no Brasil, no começo de setembro e o embargo continua.

Segundo a Abrafrigo, em outubro do ano passado, 190 mil toneladas de carne haviam sido sendo exportadas. Conforme técnicos pecuários ligados à Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA), ainda não há sinalização oficial da China para o fim do embargo e, se a medida continuar até dezembro, o prejuízo é estimado em US$ 1,8 bilhão.

No fim da semana passada, a consultoria IHS Markit informou à imprensa que a China estaria buscando novos fornecedores mundiais de carnes bovinas para ocupar a lacuna deixada pelo Brasil e, recentemente, o governo chinês habilitou frigoríficos uruguaios para exportação, o que teria valorizado a arroba do boi por lá.

Em 2010, a China ficou dois anos sem comprar carne bovina do Brasil devido à ocorrência de um caso atípico do Mal da Vaca Louca ocorrido no Paraná. A Abrafrigo afirmou que, no mês passado, seguiram para a China apenas lotes residuais de carnes, que totalizaram 27,7 mil toneladas. No mês anterior, as exportações de carne bovina para a China haviam totalizado 132,4 mil toneladas.