26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Blog

Cavalo: O cinema alagoano nas telonas do Brasil

No instagram Eassimnotícias tem entrevista completa do blog Por Elas, com os diretores Werner Salles e Raphael Barbosa

Werner Bagetti e Raphael Barbosa – Cavalo – Foto: FivulgaçãoA reabertura recente dos cinemas, depois de mais de um ano fechados por causa da pandemia, trouxe algumas novidades, em especial para os alagoanos, com a estreia de Cavalo, uma produção local focada na busca da ancestralidade cultural e religiosa afro-brasileira, já exibido em alguns festivais e desde a semana passada ocupando a telona em vários cinemas nacionais, com boa e qualificada avaliação.

Só pra citar alguns:

“Fiquei impressionado com a ausência de retórica e de demagogia em sua narrativa, além da pura beleza e da qualidade técnica da obra. Vários momentos me emocionaram. O filme me encantou! As cenas finais, quase sempre sob a chuva, são inesquecíveis” – Cacá Diegues / cineasta.

Print rede social @Cavalo_filme

“Um filme-dança que investiga de maneira muito original as pulsões da religiosidade e da cultura brasileira, de maneira que não se costuma ver em documentários sobre o tema” – Matheus Nachtergeale / ator

“Escava profundamente em busca da ancestralidade e poética em múltiplas formas de expressão do Quilombo dos Palmares à Lagoa Mundaú, do break ao candomblé, de Oxóssi a Nanã, da vida à morte” – Pedro Krull / crítico Alagoar.

“Uma obra sensível e poderosa” – Filippo Pitanga / Revista Fórum

Tem mais comentários em  www.cavalofilme.com.br e @cavalo_filme

Onde assistir

Como falamos, Cavalo está sendo exibido em vários cinemas nacionais (confira na página oficial). Em Maceió, está na programação do Cine Arte Pajuçara e Cinesystem Parque Shopping; e em Arapiraca, no Cinesystem Gardem Shopping. Já está disponível também para alugar, em algumas plataformas digitais: NOW,  OI Play e VIVO Play.

Assisti no Arte Pajuçara com bastante tranquilidade. Percebi boa atenção aos cuidados referentes ao coronavírus: Controle de entrada com aferimento de temperatura, exigência de máscara, cadeiras isoladas para garantir o distanciamento social, ingressos limitados às restrições de lotação, tudo como mandam os protocolos de segurança; sem aglomeração. Senti-me segura e saí feliz por ter estado ali; feliz com o que vi.

Cavalo é impactante. Merece o lugar de destaque que tem conquistado, posicionando-se bem em todos os elementos que alicerçam a sétima arte, através de um enredo costurado sem emendas; sem uma trama sequencial, tradicional; sem muitas palavras. Apenas somando formas, cores, em cenários – ora naturais: o nosso mar, a praia, a lagoa, o mangue, o Quilombo dos Palmares; ora trabalhando em elementos urbanos – das nossas ruas, nossos muros, tudo muito bem retratado numa excelente direção de fotografia; tudo muito bem aproveitado no movimento dos corpos, na música, na dança, na poesia que revela o grito pelo respeito e pela visibilidade das tradições culturais e religiosas afro-brasileiras.

Edital público

Conversamos, nesta quinta-feira (19), com Werner Salles e Raphael Barbosa (diretores e roteiristas), numa entrevista ao vivo, pelo instagram @Eassimnotícias. Cavalo, segundo eles, é o primeiro longa-metragem alagoano produzido por meio de edital público de incentivo à cultura, dentro de um programa de arranjos regionais que envolve recursos estaduais, municipais e de outros segmentos no fomento à produção cultural. Contou também com recursos federais da Ancine, aprovados antes do desmonte feito pelo atual governo.

Pelo menos por aqui, os editais públicos desses arranjos produtivos da cultura local surgem como um ancoradouro; um oásis em meio a esse deserto hostil, dando novo fôlego aos produtores culturais. E como temos necessitado disso, num momento em que a cultura tem sofrido, no âmbito federal, todo tipo de cortes, restrições, desvalorização e queimação (literalmente), que tentam reduzir a cinzas a produção nacional.

Cavalo é fruto desse processo e da força da resistência de quem acredita na cultura como instrumento de transformação social. Saiu na frente (ou pelo menos chegou na dianteira), mostrando que é possível e inspirando novas produções.  Há informações de que pelo menos 100 projetos na área de cinema estão em andamento, neste momento, em Alagoas, fomentados por iniciativas locais de incentivo à cultura.

Como é bom escrever isto!

Além de tudo, Cavalo traz, também, uma carga extra de responsabilidade social que vai além do estudo, documentação e visibilidade respeitosa e fiel da cultura e religiosidade afro-brasileira-alagoana: A realização de ações de inclusão cultural, promovendo o acesso de alguns desses grupos e de estudantes de algumas escolas públicas às salas de cinema. Alguns nunca estiveram ali.

Durante a entrevista (que está gravada no IGTV do Eassimnotícias ), Werner e Raphael anunciaram uma nova ação, agora envolvendo a conscientização para a importância da vacina no combate à covid-19. Consiste em garantir, nos cinemas de Maceió, meia entrada a quem apresentar o cartão de imunização devidamente atualizado. Veja mais detalhes.

Tá valendo!

 

#cinemalagoano #cavaloOfilme #incentivoacultura #Cavalo #religiosidadeafro #culturaafro-brasileira #candomblé