28 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

SP: Atiradores tiram a vida de oito pessoas em escola e depois se matam

Outras dez pessoas ficaram feridas; Escola Estadual Raul Brasil tem 105 funcionários e 1.067 alunos

Dois jovens encapuzados invadiram uma escola, em Suzano, na Grande São Paulo, e começaram a atirar. Foi um massacre e ao menos oito pessoas foram assassinadas na manhã desta quarta-feira (13).

A informação da Polícia Militar é de que os dois atiradores cometeram suicídio, totalizando em dez o número de mortos na ação.

Pelo menos quatro dos mortos são alunos do ensino médio e dois funcionários da Escola Estadual Professor Raul Brasil. Duas pessoas morreram no hospital, mas não foi informado se foram alunos ou funcionários.

Outras dez pessoas ficaram feridas. Pelo menos um estava em estado grave. Ainda não há informações sobre seus estados de saúde dos demais.

Os atiradores eram um homem de 25 anos, Luiz Henrique de Castro, e um adolescente de 17 anos, Guilherme Taucci Monteiro. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foi até o local do massacre e disse que eles não seriam alunos do local

“A cena mais triste que já assisti em toda minha vida e fico muito triste que este fato ocorra no nosso país e aqui em São Paulo”. João Dória, Governador de São Paulo.

A Escola Estadual Raul Brasil fica na rua Otavio Miguel da Silva, no bairro Parque Suzano. Segundo o Censo Escolar 2017, a unidade de ensino tem 105 funcionários e 1.067 alunos. Os estudantes são do 5º ano ao ensino médio, sendo a maioria alunos de ensino médio.

Rastros de violência

Antes de chegar à escola, os dois atiradores dispararam contra o dono de uma loja de veículos próximo a unidade de ensino, o tio de um deles. O homem foi socorrido para a Santa Casa de Misericórdia em Suzano, e passa por uma cirurgia. Do lava-rápido, eles se dirigiram à escola.

Eles entraram pela porta da frente, atiraram contra a coordenadora pedagógica e contra outra funcionária da escola, durante a hora do intervalo dos alunos do ensino médio. Eles se dirigiram ao pátio, atiraram em mais quatro alunos.

Do pátio, os atiradores seguiram em direção ao centro de línguas. Mas os alunos se fecharam na sala junto com a professora e os atiradores se suicidaram no corredor. Os dois usaram um revólver calibre 38 e uma besta, arco e flecha disparado por um gatilho, além do uso de quatro carregadores de munição, conhecidos como jet loaders.

“É uma ação vil, totalmente imponderada. Eu tenho 34 anos de serviço e não tinha visto ainda uma ocorrência com um artefato desse, a besta. Totalmente despropositado e imponderável”. Coronel Marcelo Salles, comandante-geral da Polícia Militar de São Paulo.