29 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Daniel Silveira desrespeita decisão do STF e militares espancam dono de clube em festa

Convidado dos militares, o deputado foi a uma festa na Barra da Tijuca que acabou em confusão

Silveira indo à festa, apesar da decisão judicial que o proíbe de ir a eventos públicos

O deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), que cumpre restrições impostas pelo Supremo Tribunal de Justiça (STF), esteve em uma festa na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, apesar de uma decisão da Corte de o proibir de participar de eventos públicos.

A festa terminou com o dono do clube espancado por policiais militares após uma discussão. O empresário afirmou que os envolvidos na agressão disseram ter convidado Silveira para a festa. Não há indício da participação do parlamentar, flagrado por câmeras de segurança, na confusão.

As imagens das câmeras do clube mostram Silveira entrando no lugar por volta das 16h do último sábado. Até o início desta tarde, a defesa do deputado não havia comentado o caso, por não ter conseguido falar com o deputado.

Em decisão do  ministro Alexandre de Moraes, o parlamentar está impedido de participar de eventos públicos. No fim de março, Moraes determinou que Silveira colocasse uma tornozeleira, atendendo a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). Mas o deputado resistiu e só passou a usar o equipamento quase uma semana depois. O parlamentar concordou com a instalação do equipamento de monitoramento após o ministro do STF determinar que o Banco Central bloqueasse as contas bancárias ligadas a Silveira, para garantir o pagamento de uma multa diária de R$ 15 mil, caso o parlamentar continuasse se recusando a ser monitorado eletronicamente.

Daniel Silveira chegou a ser preso em fevereiro do ano passado, após veicular vídeo com ataques aos ministros do STF, mas depois foi solto com o estabelecimento de medidas cautelares, como a de não manter contato com outros investigados por atos antidemocráticos e não participar de eventos públicos. Por ter descumprido algumas dessas medidas cautelares, Moraes determinou a instalação de tornozeleira eletrônica no deputado. Ele é réu em uma ação penal no STF por ataques feitos aos ministros da Corte.

O STF informou que não comentaria a participação de Daniel Silveira na festa.

Festa termina em confusão

A festa em que o deputado Daniel Silveira estava acabou em confusão. Dois policiais militares que afirmavam estar com o deputado agrediram o proprietário do clube, David Quintela de Souza, depois de discutir com o empresário porque queriam colocar o próprio som no local. Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que o proprietário do clube é agredido por dois oficiais da Polícia Militar.

Segundo o g1, duas festas aconteciam no clube e só uma tinha autorização para colocar música. David conta que o desentendimento começou porque o evento em que os policiais estavam insistiu instalar o próprio som, o que não estava previsto. Os agressores foram identificados como Victor Hugo da Costa Silva, lotado no 15º BPM, e Thiago Freitas, lotado no Grupamento Aeromóvel. A assessoria da Polícia Civil informou que assim que o comando da corporação recebeu o vídeo, os PMs foram identificados e convocados a depor. Um inquérito já foi instaurado para apurar a conduta dos policiais envolvidos.