29 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Depois da picanha e do salmão, Forças Armadas compram 35 mil comprimidos de Viagra

Compra foi feita em pregão eletrônico com dinheiro dos cofres públicos

FA comprou viagra para o Exército, Marinha e Aeronáutica
A compra de mais de 35 mil comprimidos de viagra pelas Forças Armadas, com dinheiro público viralizou nas redes sociais pelo inusitado do negócio.
A compra foi aprovada pelo Ministério da Defesa em pregões eletrônicos. O Viagra é um medicamento usado, normalmente, para tratamento de disfunção erétil.
Os dados estão disponíveis no Portal da Transparência e no painel de preços do governo federal e foram compilados pelo deputado Elias Vaz (PSDB-GO).
O parlamentar solicitou ao Ministério da Defesa explicação sobre os pregões. “No início do mês tivemos um reajuste alto no preço dos remédios, os hospitais sofrem com a falta de medicamentos e Bolsonaro e sua turma usam dinheiro público para comprar o ‘azulzinho’. É um tapa na cara dos brasileiros”, disse pelo Twitter.

De acordo com o levantamento, foram oito processos de compra aprovados desde 2020 por unidades de compra da Marinha, Aeronáutica e Exército. O medicamento aparece com o nome Sildenafila, nas dosagens de 25 mg e 50 mg, nomenclatura genérica para o Viagra.

O caso chamou a atenção dos internautas do País que trataram de publicar memes envolvendo a imagem das Forças Armadas brasileiras.

Farra da picanha e da cerveja

Entre fevereiro de 2021 e fevereiro de 2022, as Forças Armadas gastaram mais de R$ 56,4 milhões nos itens para os comandos da Aeronáutica, do Exército e da Marinha. Ao todo, foram adquiridos 557,8 toneladas de filé mignon, 372,2 toneladas de picanha e 254 toneladas de salmão pelos militares, além de cerveja. A maioria das compras, feitas por meio de pregão ou dispensa de licitação, foram efetuadas durante a gestão do ex-ministro da Defesa, Walter Braga Netto, que se filiou recentemente ao PL é cotado como vice no projeto de reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL).