29 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Blog

Deus, pátria, família, tiro, porrada e bomba!

No Brasil dos cristãos bolsonaristas não existem limites para o crime e a crueldade. O caso Dom Phillips e Bruno Araújo é de embrulhar o estômago.

Não apenas pela forma como foram eliminados, mas, pelo deboche com a família dos dois homens assassinados por criminosos na Amazônia.

No início da semana, o governo avisou à esposa que o corpo do jornalista inglês havia sido encontrado. Depois, surgiu a informação de que ele e o indigenista brasileiro estavam amarrados a árvores.

A Polícia Federal, depois, negou o achado, apesar de a informação de que ambos haviam sido encontrados ter sido repassada por um diplomata desse governo maldito. Para quem tem uma pessoa amada desaparecida o desencontro de informações é torturante. Mas, para os psicopatas bolsonaristas, o sofrimento alheio é motivo de gozo.

Como se trata de um crime gravíssimo e de repercussão internacional, o anúncio do achado dos corpos ficou para depois do retorno de Bolsonaro da Cúpula das Américas, nos Estados Unidos. Mais um péssimo sinal de como nossas instituições estão a serviço do mal.

Quem os matou? Bem, além de proteger garimpeiros e madeireiros, o governo Bolsonaro nada faz para impedir a construção de pistas de pouso privadas que beneficiam traficantes. Tem um lado, isso é explícito.

Ele conhecia Bruno Araújo, que foi exonerado da Funai após uma operação que destruiu 60 balsas de garimpo, deixando o presidente furioso. Coube ao então ministro da Justiça, Sérgio Moro, exonerar o corajoso servidor.

Também é de dar ânsia os comentários de Bolsonaro sobre crime, poupando os criminosos e culpando as vítimas por terem sido assassinadas. Eles deveriam ter “redobrado a atenção”, principalmente, Dom Phillips, que era “malvisto” por garimpeiros. De novo, nenhuma palavra contra os bandidos.

É triste reconhecer, mas, o governo do Brasil foi sequestrado pelo crime organizado. Tudo em nome de Deus, da pátria e da família.