26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Esportes

Escândalo internacional: Anvisa não parou ‘motociatas’, mas proibiu Brasil X Argentina

Em seu portal, o jornal argentino Olé acusou o “papelão mundial brasileiro”

 

Anvisa suspende jogo com preocupação com normas sanitárias

A imprensa internacional coloca o Brasil como vergonha nacional no combate a pandemia, após a proibição do jogo Brasil e Argentina pelas eliminatórias da Copa do Mundo.

O jogo seria realizado neste domingo, 5, na Arena Neo Química, em São Paulo. O jogo foi interrompido por funcionários da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) com a alegação de descumprimento de regras sanitárias por parte da equipe argentina.

A intervenção da Anvisa no jogo chama a atenção pela operação determinada. A agência, no entanto, deixou de atuar no descumprimento das normas sanitárias em várias “motociatas”, onde o presidente da República, sem máscara, promoveu aglomerações em várias regiões do País.

Incrível, mas os  agentes da Anvisa entraram no gramado para determinar a deportação de quatro jogadores argentinos que não cumpriram quarentena.

E aí se estabeleceu a confusão com a chegada dos servidores federais, o que levou a seleção da Argentina a deixar o campo na sequência.

A seleção argentina alega que entrou no País sem nenhuma barreira sanitária e que veio para jogar como normalmente faz.

O vexame foi tanto que até a Polícia Federal entrou no gramado para prender atletas argentinos e não conseguiram.

Diga-se, inclusive, que o vexame internacional repercutiu negativamente para o País. Principalmente por que a Anvisa tem sido omissa nas manifestações e aglomerações promovidas  constantemente pelo presidente Jair Bolsonaro.