24 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Ministro de Bolsonaro no STF, Mendonça vai julgar 3 ações contra ele

Uma delas trata do caso do Iphan e do favorecimento ao “Véio da Havan”

Mendonça vai julgar 3 ações contra o amigo Bolsonaro

A estreia de André Mendonça no Supremo Tribunal Federal (STF) foi sorteada nesta sexta-feira (17/12). Ele será relator da notícia-crime, apresentada por Randolfe Rodrigues (Rede-AP), contra o presidente Jair Bolsonaro por prevaricação e advocacia administrativa.

A ação foi movida após o presidente da República anunciar que mandou “ripar” servidores do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) ao receber a informação de paralisação na obra da Havan, do empresário bolsonarista Luciano Hang, mais conhecido como o “Véio da Havan”

Em seguida à declaração, Larissa Rodrigues Peixoto Dutra foi retirada da presidência do órgão pelo Ministério Público Federal do Rio de Janeiro. O deputado federal Marcelo Calero (Cidadania-RJ) foi o autor da ação de afastamento. Na época, foi dito que ela não atendia requisitos para a presidência.

Em live na noite dessa quinta-feira (16), Bolsonaro minimizou as investidas no Iphan. “Mandei investigar e cheguei à conclusão de que o pessoal do Iphan teria que ser trocado. Vocês votam no presidente para deixar tudo como está ou para mudar alguma coisa?”, perguntou. Em outro momento, disse não ter interferido na Justiça para o afastamento.

O novo ministro do Supremo foi indicado pele chefe do Executivo. Mendonça tomou posse ontem, após meses de espera pela sabatina no Senado.