4 de março de 2021Informação, independência e credibilidade
Mundo

Opostos: Gripe e Covid-19 ao mesmo tempo dobra risco de morte, mas dengue garantiria imunidade

Enquanto que na Inglaterra a combinação influenza e sars-cov-2 se mostrou letal, observações no Brasil mostram benefício inesperado com a dengue

A cada dia, estudos e observações científicas esclarecem mais sobre os sintomas, contaminação e contenção do novo coronavírus. Mas, nesta semana, duas observações completamente opostas, uma no Brasil e outra na Inglaterra, revelam o quão pouco ainda se sabe sobre o verdadeiro impacto desta pandemia.

No Brasil, um estudo encontrou uma possível correlação inversa entre infecções pelo novo coronavírus e casos confirmados de dengue, depois que pesquisadores constataram que locais que tiveram muitos casos de dengue em 2019 e no início de 2020 tiveram menos infecções e óbitos por covid-19.

Observando as cidades que mais espalharam casos para o País, as rodovias que auxiliaram na disseminação da doença e o “efeito bumerangue” causado pela infecção, a conta não bateu: algumas localidades não estavam registrando o mesmo avanço da covid-19, apesar desses fatores. Cidades que, curiosamente, foram mais afetadas pela dengue.

“Tentando buscar uma explicação, encontrei o mapa da dengue do Ministério da Saúde e, onde tinha demorado a chegar covid, como Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Paraná, era onde tinha muitos casos de dengue, era complementar. Encontramos correlação inversa”. Miguel Nicolelis, professor catedrático de neurobiologia, engenharia biomédica, neurologia e neurocirurgia da Universidade Duke, nos EUA.

O grupo fez o mesmo experimento com os casos de chikungunya, mas não encontrou relação. Partindo para a análise da situação da dengue em outros países, a pesquisa mostra que é possível que as pessoas que tiveram dengue tenham uma defesa parcial.

A pesquisa está disponível no repositório de pesquisas medRxiv.

Segundo Nicolelis, comprovada a relação, vacinas para a dengue em desenvolvimento poderiam ser usadas para o novo coronavírus antes que o imunizante específico seja validado. Para passar para essa etapa, um projeto de pesquisa nacional, por meio de parcerias, poderia ajudar a acelerar as respostas sobre essa possível relação.

Gripe e Covid-19 na Ingaterra

Por outro lado, pegar a gripe ao mesmo tempo que a Covid-19 quase dobra o risco de morte pelo vírus, disse a Public Health England (PHE).

Um novo estudo com pacientes de hospitais que contraíram as duas doenças de janeiro a abril deste ano encontrou uma taxa de mortalidade de 43 por cento em comparação com 23 por cento nas pessoas que contraíram apenas o coronavírus.

Embora o alto número de mortes em ambas as coortes reflita o status vulnerável desses pacientes, as autoridades estão alertando que qualquer pessoa que pegue gripe e coronavírus ao mesmo tempo pode estar em “sérios apuros”.

PHE também destacou o risco de ser hospitalizado por influenza e, em seguida, pegar Covid-19 de outros pacientes ou funcionários .

Vacinação contra a gripe

A agência está lançando sua maior campanha de vacinação contra a gripe, com o objetivo de disponibilizar 30 milhões de doses durante o inverno.

Pela primeira vez, todas as crianças da escola primária e do sétimo ano receberão a vacina contra a gripe nasal em um esforço para impedir a disseminação entre as famílias.