26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

PEC do voto impresso é rejeitada e Bolsonaro sofre derrota na Câmara

Proposta de Emenda à Constituição teve 218 votos contra e 229 votos a favor e uma abstenção – eram precisos 308 dos 513

O plenário da Câmara dos Deputados rejeitou na noite desta terça (1o) a  proposta que pretendia incluir um módulo de voto impresso ao lado das urnas eletrônicas a partir das eleições de 2022.

A PEC do voto impresso (Proposta de Emenda à Constituição 135/19) teve 218 votos contra, 229 votos a favor e uma abstenção. Para que a tramitação avançasse eram necessários votos favoráveis de 308 dos 513 congressistas.

De autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF), a PEC era de interesse do presidente Jair Bolsonaro  e foi rejeitada no dia em que o Ministério da Defesa realizou um desfile militar no Planalto. O ato foi criticado por políticos, que o viram como uma tentativa do presidente de intimidar deputados.

A inclusão do assunto na sessão de hoje só aconteceu por vontade do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), aliado do governo, e o resultado da votação representa uma derrota para Bolsonaro.

Após a votação, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), agradeceu aos deputados pelo comportamento democrático. “A democracia do Plenário desta Casa deu uma resposta a este assunto e, na Câmara, espero que este assunto esteja definitivamente enterrado”, afirmou.