23 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade
Maceió

Rui Palmeira cobrará na Justiça ressarcimento da Braskem

Prefeito já encaminhou com Procuradoria Geral do Município para entrar com ações judiciais contra a empresa

Após a divulgação do laudo da CPRM, que apontou a atividade de mineração da Braskem como a causa principal da instabilidade no solo do bairro do Pinheiro e região, o prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB), se pronunciou nas redes sociais e disse que cobrará na justiça o ressarcimento para os moradores e para o município.

“Já estamos junto à Procuradoria do Município trabalhando nas ações que vamos junto à empresa (Braskem), buscar ressarcimento para os moradores e para os cobres públicos”. Rui Palmeira, prefeito de Maceió.

Como a fiscalização da atividade cabe à União, ele também agendará reuniões em Brasília para tratar do assunto.

Culpa

Após a apresentação da situação do laudo da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais, Serviço Geológico do Brasil (CPRM), nesta quarta (8), o diretor da CPRM, Thales Sampaio, respondeu um morador sobre a culpa ou não da Braskem, pelo afundamento e rachaduras que atinge os bairros do Pinheiro, Mutange e Bebedouro, em Maceió.

Ele foi enfático: na região, há uma falha geológica e a empresa deveria realizar testes antes de fazer perfuração e mineração. O que agravou o fenômeno nos bairros. Imediatamente, os moradores presentes passaram a gritar “fora Braskem”.

“As cavidades foram construídas exatamente na intersecção das estruturas ou em cima delas. Isso não deixou que as caverna ficassem íntegras, causando a desestabilização das cavidades construídas pela Braskem”. Thales Sampaio, CPRM.

Relatório encontrou relações entre poços e minas escavados e as rachaduras na região